Brasil Política

20/05/2020 | domtotal.com

Bolsonaro demite Regina Duarte da Secretaria Especial da Cultura

Expectativa é que o ator Mário Frias, apoiador de Bolsonaro, fique com o cargo

Jair Bolsonaro durante cerimônia de posse da Secretária Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Regina Duarte
Jair Bolsonaro durante cerimônia de posse da Secretária Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Regina Duarte (Carolina Antunes/PR)

Atualizada às 17h

Após dias de "fritura", o presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta quarta-feira (20) a demissão da atriz Regina Duarte do cargo de secretária especial da Cultura. A atriz deve assumir o comando da Cinemateca Brasileira, que fica em São Paulo e é depositária do maior acervo de referência ao cinema brasileiro no país. O nome do substituto ainda não foi confirmado, mas, nos bastidores, surge o nome do ator Mário Frias, apoiador de Bolsonaro, como principal cotado para assumir o posto. 

Regina Duarte estava no comando da Secretaria Especial da Cultura desde o início de março. Antes dela, o secretário foi Roberto Alvim, demitido por fazer alusão ao nazismo. Ela foi constantemente desautorizada pelo presidente em relação a nomeações e deixa o cargo sem grandes conquistas. No Instagram, ela disse que vai "lutar sempre por escapar do ambiente raivoso que acomete parte do setor (cultural)".

Segundo Regina Duarte, existe "um grupo que trabalha quotidianamente não para construir nada, mas para separar os criadores de arte, impondo o atraso, impedindo a conexão de todos". Ela não citou nomes ou apontou ações nesse sentido, porém.

"Regina Duarte relatou que sente falta de sua família, mas para que ela possa continuar contribuindo com o Governo e a Cultura Brasileira assumirá, em alguns dias, a Cinemateca em SP. Nos próximos dias, durante a transição, será mostrado o trabalho já realizado nos últimos 60 dias", postou Bolsonaro.

Os dois gravaram um vídeo juntos, na área externa do Palácio da Alvorada, em que Regina começa questionando Bolsonaro se ele está a "fritando".  "Jamais ia fritar você", responde o presidente.


Ao anunciar a mudança, pouco mais de dois meses após assumir a secretaria de Cultura, Regina diz que assumir a Cinemateca é um "sonho de qualquer pessoa de comunicação, audiovisual, cinema e teatro".  Na prática, ela assumirá um posto em que será subordinada ao seu substituto na secretaria.

"Pode ter um presente melhor que esse? Obrigado presidente", diz a atriz. "Estou sentindo muita falta dos meus filhos e dos meus netos. É um presente duplo. É a Cinemateca e é estar próxima da minha família."

Legado?

No curto período em que ficou na Secretaria Especial da Cultura, Regina não apresentou nenhum plano ou projeto para o setor, e também foi cobrada por isso. Ela informou, pelas redes sociais, que pretende fazer um balanço de sua gestão à frente da pasta. 

Em uma entrevista dia 7 de maio para a rede CNN, Regina minimizou as torturas e mortes cometidas pelo Estado brasileiro durante a ditadura militar, e entoou Pra Frente, Brasil, de Miguel Gustavo, jingle conhecido como um hino da seleção brasileira de 1970, antes de encerrar sua participação de maneira abrupta.

Três dias depois, um grupo de artistas, intelectuais e produtores culturais - entre eles, Chico Buarque, Marco Nanini, Laís Bodanzky, Caetano Veloso, Denise Fraga, Luis Fernando Veríssimo, Emicida - emitiu uma carta em reação às declarações da então secretária. "Fazemos parte da maioria que não aceita os ataques reiterados à arte, à ciência e à imprensa, e que não admite a destruição do setor cultural ou qualquer ameaça à liberdade de expressão", diz o texto.

O anúncio desta quarta-feira (20), ocorreu um dia após o presidente compartilhar nas redes sociais um vídeo em que o ator Mário Frias fala sobre a possibilidade de assumir o cargo da colega de profissão.

O vídeo publicado nesta terça pelo presidente é uma entrevista de Frias à emissora CNN Brasil, exibida no dia 6 de maio, em que o ator diz torcer por Regina Duarte, mas que está à disposição de Bolsonaro. “Para o Jair, o que ele precisar estou aqui”, afirma o ator. Na gravação, publicada com cortes, Frias defende o presidente e diz que Bolsonaro é “preocupado com o povo” e “defende os três Poderes”.

A entrevista com o ator ocorreu no mesmo dia em que Regina havia se reunido com Bolsonaro no Palácio do Planalto. Na ocasião, o presidente havia demonstrado insatisfação pública com a atuação da secretária e renomeado o maestro Dante Mantoavani no comando da Funarte. O maestro havia sido afastado do cargo logo após a posse da nova secretária. No fim do dia, a nomeação foi suspensa, mas o gesto foi visto no governo como um processo de “fritura” de Regina.

Depois do encontro, em outro gesto considerado como parte do processo de "fritura", o número 2 da pasta, o secretário especial adjunto, Pedro José Vilar Godoy Horta, foi exonerado do cargo. A demissão, publicada em edição extra do Diário Oficial de sexta-feira (15) levou a assinatura do ministro-chefe da Casa Civil, Walter Braga Netto.

Segundo a apuração, Bolsonaro estava incomodado com a ausência de Regina em Brasília e acredita que a secretária é suscetível ao setor “todo de esquerda”. Já a secretária se sente desprestigiada e pressionada pela “ala ideológica” do governo.


Agência Estado/Dom Total



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!