Religião

28/05/2020 | domtotal.com

Vaticano alerta sobre maior exposição de crianças ao tráfico humano na pandemia

Boletim semanal sobre o tema está disponível no portal da comissão em cinco línguas

Segundo relatos, o tráfico de pessoas 'pode aumentar por causa da tensão econômica, particularmente no setor laboral' gerada pela pandemia
Segundo relatos, o tráfico de pessoas 'pode aumentar por causa da tensão econômica, particularmente no setor laboral' gerada pela pandemia (Vatican News/Adobe Stock)

O Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral do Vaticano, através da Seção Migrantes e Refugiados, está disponibilizando um boletim semanal sobre as pessoas vulneráveis em movimento neste período de emergência sanitária global. O serviço está sendo oferecido desde 18 de maio no portal da comissão e em 5 línguas: português, italiano, espanhol, inglês e francês.

Durante este período de pandemia da Covid-19, os migrantes, os refugiados, as pessoas deslocadas e as vítimas do tráfico de seres humanos continuam sendo uma preocupação porque estão ainda mais vulneráveis com o surgimento do vírus. Segundo a Seção Migrantes e Refugiados, eles estão “sujeitos a vários tipos de injustiça e discriminação que ameaçam os seus direitos, a segurança e a saúde”.

Reze conosco em Meu dia com Deus

Seguindo o direcionamento do papa Francisco, ao afirmar que “só podemos sair desta situação juntos, enquanto humanidade inteira”, o boletim semanal procura informar sobre os problemas, mas, também, e principalmente, sobre as soluções e iniciativas implementadas por parte dos atores católicos que acompanham essas populações vulneráveis. É uma oportunidade para individualizar todo o contexto, podendo, assim, oferecer auxílio e impedir a propagação do coronavírus dentro e fora das comunidades.

A Seção Migrantes e Refugiados também recebe notícias sobre outras iniciativas e boas práticas para serem publicadas no boletim, transformando-se em novas fontes de inspiração e orientação.

Boletim

No último boletim divulgado no dia 25 de maio, o problema do tráfico de seres humanos - que tende a crescer com a situação de pandemia - foi tema de análise.  Segundo relatos do Centro Scalabriniano de Estudos Migratórios e das Religiosas Católicas dos Estados Unidos contra o Tráfico de Seres Humanos, esse problema “pode aumentar por causa da tensão econômica, particularmente no setor laboral”.

As crianças, por sua vez, “podem ser as mais expostas à exploração” através da comunicação digital, tão usada pelos traficantes. Por isso o alerta sobre “o risco de se cair nas mãos dos contrabandistas e sobre os métodos de contato que eles usam com as comunidades vulneráveis”. Aí é que se encontra a importância de se denunciar às autoridades competentes quem “sofre o mal da escravidão”, como enfatiza o cardeal Vincent Nichols, arcebispo de Westminster, que fez um apelo oficial ao governo britânico.

As ações sobre o impacto da crise da Covid-19 sobre o tráfico de seres humanos foram apresentadas no boletim por diversas frentes, a exemplo da rede católica Talitha Kum, do Projeto Esperança das Irmãs Adoradoras da Espanha, do Corpo de Proteção às Mulheres Refugiadas da Malásia e das Irmãs Ursulinas da Itália.

Ação brasileira

O boletim também trouxe a experiência brasileira sobre o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, que é lembrado no dia 18 de maio. 

A rede “Um Grito pela Vida”, uma iniciativa realizada há 20 anos, conduziu a campanha Faça Bonito nas redes sociais. Neste ano, com as restrições da pandemia, a mobilização de prevenção, proteção, denúncia e ação contra esse tipo de crime aconteceu de forma online, com a publicação de vídeos e imagens.


Receba notícias do DomTotal em seu WhatsApp. Entre agora:
https://chat.whatsapp.com/IZ0DnZ5EcYe3hYzIcuFYBk


Vatican News/Dom Total



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!