Coronavírus

18/06/2020 | domtotal.com

Belo Horizonte terá 23 novos leitos de UTI para atender pacientes com Covid-19

Secretário chamou atenção para aumento do número de casos na região metropolitana

O secretário-geral do estado, Mateus Simões, durante coletiva de imprensa virtual
O secretário-geral do estado, Mateus Simões, durante coletiva de imprensa virtual (Gil Leonardi / Imprensa MG)

Isabela Santiago

Durante uma coletiva de imprensa virtual nessa quarta-feira (17), o secretário-geral do estado, Mateus Simões, anunciou que o sistema de saúde de Belo Horizonte ganhará mais 23 leitos de UTI. De acordo com informações da Agência Minas, a expansão deve acontecer no Hospital Julia Kubitscheck, da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), em parceria com a Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG).

Leia também:

Em seu pronunciamento, Simões destacou o empenho do governo estadual para equipar e ampliar os leitos. “O estado tem conseguido, com muito esforço, garantir condição de assistência em todo o seu território. Tivemos uma expansão de cerca de mil leitos de alta complexidade credenciados no SUS, adquirimos e consertamos 1,5 mil respiradores. Além disso, ontem o governador anunciou mais 500 respiradores e 79 leitos de UTI no interior”, enfatizou.

“É para isso que a Rede Fhemig tem se dedicado ao longo de semanas, meses, inclusive com a expansão de leitos clínicos no Hospital Galba Veloso, na capital. E o nosso Hospital de Campanha poderá ser acionado a qualquer momento em que haja a saturação dos leitos clínicos em Belo Horizonte”, adiantou.

Aumento dos casos de Covid-19

O secretário chamou atenção para a Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) que tem tido um aumento de casos confirmados de Covid-19, algo que preocupa o governo mineiro. Os maiores índices de contágio da infecção têm sido apresentados exatamente na capital e nas cidades da RMBH.

“Nas últimas semanas a curva se agravou após decisões de reabertura divorciadas dos protocolos do Plano Minas Consciente adotadas na capital e no seu entorno. Insisto que os prefeitos observem que temos um protocolo de qualidade e segurança para garantir que as pessoas que estiverem em circulação estejam dentro de critério sanitários que não exponham as outras pessoas ao risco. A abertura dos shoppings populares há 15 dias já está cobrando seu preço”, observou.

Mateus Simões sinalizou para um compromisso assumido pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) quanto à expansão de mais de 1 mil leitos, algo que não foi feito. “Nada disso foi efetivamente implantado. Da previsão inicial de expansão de UTIs nós contamos com um pouco mais de 25% da expansão que havia sido comprometida pela PBH”, recordou.

Dificuldades

O aumento dos casos de pessoas infectadas, bem como a maior demanda por leitos hospitalares na região metropolitana, é outra preocupação do governo. Nessa quarta-feira (16), o Hospital Risoleta Neves, em Belo Horizonte, atingiu pela primeira vez ocupação total de leitos de UTI para pacientes com Covid-19. A situação não é muito diferente no estado, que já vem demonstrando uma superlotação nos leitos de UTI em sete das suas 14 macrorregiões.

Em consequência disso, a velocidade de abertura do Hospital de Campanha do ExpoMinas vem sendo questionada. “Isso demonstra uma insegurança por parte das autoridades municipais sobre a capacidade de atendimento na RMBH fornecida pelos municípios. O estado não vai virar as costas para esse problema, ao contrário”, afirmou Simões.

O secretário, por sua vez, chamou atenção para que os municípios se manifestem sobre as dificuldades que estão enfrentando, já que só assim o governo estadual vai poder ajudar a capital e seu entorno, como já tem feito com o interior. “Falta medicação? É preciso que a gente seja informado para tentar buscar uma solução para aliviar os hospitais. Faltam respiradores? Que nos seja alertado, porque nós temos fornecido respiradores para a expansão da capacidade de atendimento em toda Minas Gerais, inclusive em Belo Horizonte, para os hospitais da Rede Fhemig e também filantrópicos conveniados”, afirmou Simões.


Dom Total com informações da Agência Minas



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!