Religião

26/06/2020 | domtotal.com

Os santos juninos: ensinamentos sobre discipulado

Qual a qualidade de nosso engajamento, no seguimento de Jesus Cristo e de seu Evangelho?

Este ano de 2020, a celebração dos três santos juninos está sendo diferente por conta da pandemia
Este ano de 2020, a celebração dos três santos juninos está sendo diferente por conta da pandemia (Pixabay)

Felipe Magalhães Francisco*

O mês de junho é, popularmente, um dos mais celebrados, durante o ano, por causa dos dias dedicados a três importantes santos dos altares católicos: Santo Antônio, São João Batista e São Pedro. Em nosso país, de Norte a Sul as festividades tomam conta do mês, com peculiaridades e tradições de religiosidade popular que revelam a verdadeira efervescência da fé. Essa é uma ocasião que mobiliza, inclusive, os não religiosos: são festas que acolhem todos e todas e mobilizam o país inteiro, sobretudo o Nordeste de nosso país.

Este ano, porém, a celebração desses três santos está muito diferente. As trezenas não são presenciais; as barraquinhas e quermesses se adaptaram ao delivery; forró, só em casa, com a família... Nas redes sociais, muitos memes apontam para o desalento da ausência das festas juninas e quadrilhas. Este é, de fato, um ano deveras atípico que, ao mesmo tempo em que pode nos abalar com tantos sentimentos dos quais não gostaríamos de vivenciar, ele pode nos suscitar o desejo de redesenhar nossa vida e nossas relações. Podemos considerar esse ano, de acordo com a postura que adotamos, como um tempo de preparação: esse mês junho, tão contido, pode ser vivenciado como uma reserva simbólica, no qual nos preparamos para a possibilidade de festejar no ano que vem com bastante força e energia.

Essa reserva simbólica nos ajuda a voltar nosso olhar para dentro de nós mesmos, como tempo propício à espiritualidade, não mais institucionalizada pelos ritos aos quais já nos acostumamos, mas como um tempo de verdadeira escuta. Dedicar um tempo para que meditemos sobre alguns aspectos da vida desses três santos juninos, por exemplo, pode ser ocasião em que lancemos um olhar a respeito de nosso próprio discipulado: qual a qualidade de nosso engajamento, no seguimento de Jesus Cristo e de seu Evangelho?

No Dom Especial desta semana, dedicamos um artigo para cada um desses santos. No primeiro artigo, Santo Antônio: o Evangelho pregado com a vida, Francisco Thallys Rodrigues nos ajuda a refletir sobre a radicalidade com a qual Antônio de Pádua buscou viver o seguimento de Jesus, assumindo o anúncio do Evangelho no cuidado para com os pobres. Rodrigo Ferreira da Costa nos propõe o artigo João Batista, a radicalidade do anúncio, no qual chama a atenção para o papel profético, exercido pelo precursor de Jesus, como convite a que reavivamos, em nosso discipulado, a chama profética. Encerra este ciclo de textos, Daniel Reis, com o artigo Pedro, o primeiro, no qual recorre às narrativas evangélicas para traçar um perfil teológico deste nosso apóstolo, de modo que nos inspire, a tal como ele, viver com ardor o seguimento de Jesus e do Evangelho.

Boa leitura!


Receba notícias do DomTotal em seu WhatsApp. Entre agora:
https://chat.whatsapp.com/GuYloPXyzPk0X1WODbGtZU

*Felipe Magalhães Francisco é teólogo. Articula a Editoria de Religião deste portal. É autor do livro de poemas Imprevisto (Penalux, 2015). E-mail: felipe.mfrancisco.teologia@gmail.com



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!