Mundo

30/06/2020 | domtotal.com

Holanda unida no combate ao novo coronavírus

Em vez de luta política, país se uniu sob orientação dos seus virologistas mais importantes

Holanda declarou confinamento inteligente
Holanda declarou confinamento inteligente (Unsplash/ Remy Gieling)

Lev Chaim*

A coisa mais admirável da luta contra a pandemia do novo coronavírus na Holanda foi a forma com que o primeiro-ministro Mark Rutte, do partido liberal VVD, conduziu a coalizão de governo e os partidos de oposição. Não houve luta política, mas uma batalha ferrenha contra o vírus sob a orientação dos vinte virologistas mais importantes do país. É claro que no início do problema, lá pelo fim de fevereiro e início de março, alguns partidos de oposição, da extrema direita, tentaram fazer oposição inconsequente, mas não foram apoiados nem por seus próprios partidários. Enfim deram-se as mãos e todos se ajudaram no apoio ao primeiro-ministro e seu governo, mesmo com as eleições parlamentares marcadas para março do ano que vem.  

Declarou-se um confinamento inteligente. Sugeriram para as pessoas que ficassem em casa, podendo sair quando fosse realmente necessário. Com isso, os holandeses ficaram mais conscientes, sem sair de casa, sabendo que poderiam, a qualquer momento, sair quando necessário, ou seja, para fazer compras, respirar um ar puro próximo de casa etc. Apenas nos asilos o isolamento foi mais severo.

Dessa forma, a Holanda entrou em confinamento para tentar retardar a propagação do vírus antes que ele se tornasse realmente um problema maciço para os hospitais do país. As autoridades e o pessoal da saúde tiveram muito trabalho, mas, ao que tudo leva crer, as coisas estão caminhando bem, com o confinamento sendo abrandado aos poucos. O primeiro-ministro foi enfático: "Uma vez lá fora, temos que manter um metro e meio de distância um do outro para evitar qualquer possibilidade de contaminação". É claro que existiram e existem problemas aqui e ali, mas, de uma forma geral, as coisas caminham direitinho.

Apesar de tudo estar indo pelo bom caminho, os holandeses ainda não ficaram livres do vírus, pois ele continua a rondar o país, como dizem os especialistas. De qualquer forma, os virologistas e imunologistas tornaram-se mais sábios e comandam as coisas de forma que a economia, aos poucos, volte a funcionar. Há sempre aqueles que reclamam, mas suas reclamações são avaliadas e estudadas pela equipe do governo. Tudo é discutido e o consenso manda nas decisões finais. O próprio primeiro-ministro, que é do partido liberal, esqueceu-se de seu partido para cuidar do país, da melhor forma possível. A cada conferência de imprensa, ele é elogiado até mesmo por políticos da oposição, admirados com a sua garra no combate à pandemia. Durante esse combate, ele próprio perdeu a sua mãe. Hoje, todos são unânimes em denominá-lo um estadista de primeira linha, que deve ser ouvido e respeitado. E nestes meses de pandemia sempre foi o governo central que estava no comando da compra de equipamentos, aparelhos respiratórios, luvas e outros materiais necessários e tudo sem fraudes. No início a coisa foi meio difícil pois o mundo inteiro estava comprando, mas aos poucos os estoques foram feitos. Hoje, a Holanda tem uma reserva de equipamentos caso uma segunda onda venha a surgir e luta-se para o aumento do pessoal que trabalha nos hospitais.

Eu particularmente fiquei muito preocupado pois nunca havia passado por uma coisa dessas e qualquer tosse já me alarmava pensando estar doente. Mas, aos poucos, você vai tendo mais coragem, mais capacidade para entender as coisas e procura ouvir o que as autoridades desejam que você faça. Ao comentar sobre o meu medo com uma das minhas irmãs, ela me mandou uma mensagem que leio sempre e gostaria de dividi-la aqui com você, agora, caro leitor: "Fé nas promessas de Deus. O medo nos faz buscar a nós mesmos e esquecermos de Deus. O homem que tem medo, não é uma pessoa livre. A tristeza é o olhar voltado para si. A felicidade é o olhar voltado para Deus que nos dá força no sofrimento. Confiar em Deus. O amor de Deus supera todos os sofrimentos, angústias, misérias e fraquezas. Deus intervém na hora certa. Ter uma intimidade com o todo poderoso, todos os dias e pedir a Ele o dom da Fé, da Fortaleza e dom do Amor. Não tenhais medo meu querido irmão. Beijão, saudades". 

*Lev Chaim é jornalista, colunista, publicista da FalaBrasil e trabalhou mais de 20 anos para a Radio Internacional da Holanda, país onde mora até hoje. Ele escreve todas as terças-feiras, para o Domtotal.



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!