Cultura Cinema

31/07/2020 | domtotal.com

Morre o director britânico Alan Parker, de The wall, Fame e Commitments

Cineasta experimentou gêneros distintos e recebeu título de cavaleiro da Coroa

Imagem de 'The wall', obra que celebra o álbum de Pink Floyd
Imagem de 'The wall', obra que celebra o álbum de Pink Floyd (IMDB)

O diretor inglês Alan Parker morreu nesta sexta-feira (31), aos 76 anos, depois de um longo período convalescendo. O cineasta assinou diversos filmes conhecidos, como o musical Evita (1996), com Madonna e Antonio Banderas, Mississippi em chamas (1988), e O expresso da meia noite (1978), com roteiro de Oliver Stone.

Indicado duas vezes ao Oscar de melhor diretor, o cineasta viu seus filmes ganharem 10 estatuetas na principal premiação do cinema americano. Em 2002, ele foi nomeado cavaleiro pela Coroa Britânica, passando a ser denominado Sir Alan Parker.

Um cineasta que rejeitou adjetivos, Parker fez seu nome na década de 1970, pulando de gênero em gênero sem hesitação, da comédia musical Bugsy Malone, seu primeiro filme, ao cinema severo e comprometido de O expresso da meia-noite (1978), sobre a dura realidade das prisões turcas.

Após o sucesso de O expresso da meia-noite, ele retornou aos musicais, com The wall. Sete anos mais tarde, lançou Mississipi em chamas, que narra a investigação feita pelo FBI do desaparecimento de três figuras da luta pelos direitos civis nos Estados Unidos.

Parker trabalhou com alguns dos melhores atores da sua geração, como Robert de Niro, Gene Hackman e Nicholas Cage. O produtor britânico David Puttnam homenageou aquele que era seu "mais antigo e estimado amigo, alguém que sempre impressionou por seu talento". O ex-presidente do Festival de Cannes Gilles Jacob saudou "um cineasta vivo, brilhante, prolífico e de espírito sarcástico".

Em 1980, ele teve um enorme sucesso com Fama, outro musical que se tornou uma série de televisão, e repetiu dois anos depois com The wall, outro musical com grande impacto visual por sua dureza, baseado no álbum duplo do Pink Floyd.

Em 1996, foi a vez de Evita, adaptação do famoso musical, para a qual contou com Madonna no papel principal e Antonio Banderas como Che Guevara. Ele era "um camaleão com um talento extraordinário", reagiu a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood. No total, suas obras somaram 19 prêmios Bafta, 10 Globos de Ouro, 10 Oscars e um Grande Prêmio do Júri de Cannes.

Fundador do Sindicato dos Diretores da Grã-Bretanha, Parker também foi diretor do UK Film Council e do British Film Institute, que usou as redes sociais para lamentar a morte do diretor.

Nascido em Londres em 1944, Parker começou a carreira escrevendo anúncios publicitários, mas rapidamente se moveu para a direção. Em 1974, com o telefilme The evacuees, ele ganhou o primeiro dos seu sete Baftas, o principal prêmio da indústria britânica.

Entre seus outros filmes, estão Fama (1980), Pink Floyd: The wall (1982), Coração satânico (1987), The Commitments - Loucos pela fama (1991) e A vida de David Gale (2003), com Kevin Spacey e Laura Linney, seu último trabalho atrás das câmeras.  Ele deixa a esposa, Lisa Moran-Parker, cinco filhos e sete netos.



Agência Estado/Dom Total



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!



Outras Notícias