Mundo

12/08/2020 | domtotal.com

Operação de desarmamento no Sudão do Sul deixam 127 mortos

Várias comunidades estão armadas no Sudão do Sul para prevenir ataques e lutar contra os ladrões

Jovens sul-sudaneses se preparam para cerimônia de desarmamento organizada pela ONU em Pibor, estado de Jonglei, em 10 de fevereiro de 2015
Jovens sul-sudaneses se preparam para cerimônia de desarmamento organizada pela ONU em Pibor, estado de Jonglei, em 10 de fevereiro de 2015 (CHARLES LOMODONG/AFP)

Ao menos 127 pessoas morreram nos últimos dias em confrontos entre soldados e jovens de uma comunidade do Sudão do Sul que não aceitaram participar de uma operação de desarmamento, informou nesta quarta-feira o porta-voz do exército, Lul Ruai Koang.

"Posso confirmar que até agora registramos 127 mortos. De acordo com nossas informações, 82 civis e 45 soldados do exército do Sudão do Sul morreram nos confrontos", disse.

Os confrontos começaram no sábado no estado de Warrap, onde nasceu o presidente Salva Kiir e que já foi cenário de outros incidentes entre comunidades recentemente.

Várias comunidades estão armadas no Sudão do Sul para prevenir ataques e lutar contra os ladrões.

Segundo o porta-voz militar, os jovens da comunidade Gelweng, que se recusam a entregar as armas no âmbito de uma operação promovida pelo governo, atacaram uma posição do exército na área de Romic.

Os confrontos também deixaram 32 feridos entre os militares e um número indeterminado entre os Gelweng, segundo Koang.

O Sudão do Sul, onde um acordo de paz foi assinado em 2018, se recupera com dificuldades da guerra civil que deixou, em seis anos, mais de 380.000 mortos e provocou uma crise humanitária de proporções catastróficas.

O presidente Salva Kiir e o líder da principal rebelião, Riek Machar, que se tornou vice-presidente, formaram em fevereiro um governo de união nacional.


AFP



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!