Religião

31/08/2020 | domtotal.com

Padre descobre que não é sacerdote por erro de diácono que o batizou

Matthew Hood foi batizado segundo fórmula não oficial que invalida sacramento

Pe. Matthew Hood, ao centro, é investido após ser ordenado em 17 de agosto de 2020, na Catedral do Santíssimo Sacramento em Detroit
Pe. Matthew Hood, ao centro, é investido após ser ordenado em 17 de agosto de 2020, na Catedral do Santíssimo Sacramento em Detroit (CNS/Católico de Detroit/Valaurian Waller)

Agosto foi uma montanha-russa para o padre Matthew Hood, que foi ordenado padre – alguns podem dizer pela segunda vez, mas na realidade, pela primeira vez – em 17 de agosto de 2020, pela Arquidiocese de Detroit.

O mundo de Hood virou de cabeça para baixo em 6 de agosto, quando a Congregação para a Doutrina da Fé, do Vaticano, emitiu uma nota doutrinária determinando que os batismos usando uma fórmula alterada – especificamente, aqueles que usam a frase "Nós batizamos você..." em vez da fórmula batismal da Igreja antiga "eu te batizo em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo" – são inválidos.

Trinta anos atrás, essa foi a fórmula que um diácono usou para batizar Hood quando criança na Paróquia de Santa Anastasia em Tróia.

"Foi devastador para mim descobrir isso", disse Hood ao Detroit Catholic, o meio de comunicação online da Arquidiocese de Detroit. "Isso significava que não fui batizado e não recebi nenhum dos meus outros sacramentos – primeira comunhão, crisma ou ordenação diaconal e presbiteral."

Em outras palavras, Hood não era realmente padre, porque, de acordo com a teologia sacramental, apenas um católico batizado pode receber validamente os outros sacramentos.

"É uma circunstância tão estranha, porque parecia que nada havia mudado. Nem sempre sentimos os efeitos dos sacramentos", disse Hood, que desde julho serve como vigário na Paróquia de Saint Lawrence, em Utica, e antes disso na Paróquia Divine Child, na cidade de Dearborn, desde 2017.

Embora Hood agora tenha recebido seus sacramentos – foi batizado, recebeu a crisma e a eucaristia em 9 de agosto, foi ordenado diácono em 15 de agosto e sacerdote em 17 de agosto – sua maior preocupação agora é com aqueles que receberam os sacramentos por meio dele, ou pensaram que receberam de forma válida.

Os cristãos que confirmou na fé no Pentecostes, na paróquia Divine Child, precisarão entrar em contato com a paróquia para completar seus sacramentos, disse Hood. A Arquidiocese de Detroit criou uma página na web para qualquer pessoa que acredite ter recebido um sacramento inválido. Dessa forma, poderá ser contactada por um padre a fim de saber quais medidas precisam ser tomadas. As paróquias das pessoas afetadas também serão avisadas.

"Meu coração se compadece por aqueles para quem celebrei a missa, as intenções que ofereci, as confissões que ouvi e, especialmente, os sacramentos da unção dos enfermos que celebrei para quem estava em seu leito de morte, dentre eles minha avó", disse Hood.

Embora os sacramentos que celebrou possam não ser válidos – com a notável exceção do batismo que, ironicamente, não exige um padre, desde que as palavras, a matéria e a intenção estejam presentes –, Hood disse que as pessoas podem ficar tranquilas sabendo que Deus não as abandona em seus momentos de necessidade.

O padre disse que entende que as pessoas afetadas vão sentir a notícia com um grande impacto, como ele se sentiu quando soube a verdade.

"Como padre, quero ser capaz de encontrá-los e dizer que isso é algo muito estranho e provavelmente doloroso, mas também passei por isso e quero ajudá-los a resolver esse problema", apontou.

O padre disse que entende a importância da teologia sacramental, incluindo as palavras, a água e as ações que compreendem o batismo, que concede a graça santificadora da alma, tornando alguém, de fato, em cristão.

Afinal, durante três anos, ele viveu pensando que era padre.

"Tudo isso pode dar a impressão de um ato administrativo, mas é algo que precisa ser levado a sério porque os sacramentos são muito sérios", disse Hood. "Os sacramentos vêm de Cristo e são confiados à Igreja. É importante celebrar os sacramentos de acordo com os preceitos da Igreja".

O fato dele ter descoberto o problema em primeiro lugar foi um golpe de graça da providência divina, disse o padre.

"No início da quarentena pelo Covid, o arcebispo falou sobre a existência de graças especiais nesses momentos extraordinários", disse Hood. "Uma dessas graças para mim foi que meu pai tinha tempo livre para assistir vídeos antigos da família. Um desses vídeos era meu batismo, e ele enviou esse vídeo para mim."

Embora o padre sempre teve interesse no sacramento do batismo, foi só quando assistiu ao vídeo em abril que o alarme começou a soar.

"Quando ouvi as palavras, a princípio pensei: 'Isso não está certo'", lembra Hood. Depois, procurou um professor do seminário, um canonista e o chanceler arquidiocesano para esclarecer suas dúvidas.

Na época, não houve nenhum esclarecimento do Vaticano e, dada a prática de longa data da Igreja de presumir a validade dos sacramentos, a menos que seja demonstrado o contrário, os quatro decidiram que o padre provavelmente estaria seguro.

Quatro meses depois – um tempo que Hood acredita que foi como o tempo de Deus – ele recebeu a esperada resposta.

"Para começar, quais são as chances de ser capaz de descobrir isso? Que meu pai tenha filmado meu batismo? Que eu pudesse assisti-lo anos depois? Que eu fosse capaz de entender que a fórmula era inválida?" assinalou Hood.

Assim que o documento foi publicado, o padre contactou o vigário episcopal da arquidiocese, que imediatamente iniciou o processo de providenciar que Hood recebesse seus sacramentos.

Em 9 de agosto, três dias após a divulgação do documento do Vaticano, o bispo auxiliar de Detroit, Gerard W. Battersby, batizou, confirmou e deu a Hood sua primeira comunhão. Depois de um retiro de cinco dias, o bispo Battersby o ordenou diácono, e o Arcebispo Allen H. Vigneron o ordenou padre dois dias depois, na Catedral do Santíssimo Sacramento.

"Desde o início, a resposta da arquidiocese foi muito rápida", disse Hood. "O arcebispo me ligou e pude perceber que estava ainda mais preocupado com isso do que eu, e eu estava muito preocupado. Saber de seu cuidado por mim e por minha vocação foi uma grande graça desde o início."

Embora pareça que pouco mudou, Hood sabe que agora, sacramentalmente, é uma pessoa totalmente nova. Sentindo ou não, o sacerdote se tornou cristão pela primeira vez em 9 de agosto.

Hood disse que não sente raiva de ninguém, incluindo o diácono que o batizou quando criança. "Não acho que ele agiu de má fé. Acho que pode ter havido erros em termos de formação e compreensão dos sacramentos. Mas este foi um problema que foi abordado e resolvido."

Embora tudo tenha voltado ao "normal", Hood disse que, como jovem sacerdote, esta é uma história que carregará para o resto de seu reconhecidamente novo sacerdócio.

"Quando descobri a notícia, ainda me sentia um sacerdote da Igreja", disse Hood. "Agora, ter certeza absoluta de que fui validamente ordenado, isso é uma graça especial."

Publicado originalmente por NCR


Tradução: Ramón Lara



Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!