Cultura

08/09/2020 | domtotal.com

25 vilões em 25 frases

Celebrando 70 anos da TV brasileira

José Wilker em 'Renascer', de 1993
José Wilker em 'Renascer', de 1993 (Divulgação)

Alexis Parrot*

Novela que se preza tem que ter vilão. É o outro lado da moeda; o segundo prato que equilibra a balança e permite que a narrativa do folhetim avance, providenciando obstáculos e provações que atravancam a vida de heróis e mocinhas.

Suprassumo do maniqueísmo, serve para evidenciar as boas qualidades do protagonista, até mesmo quando este não é lá flor que se cheire. Se colocados lado a lado, quanto pior for o vilão, melhor parece ser o seu oponente. Em outras palavras: sem Leôncio, a escrava Isaura nem ia parecer tanto o anjo de candura com quem aprendemos a nos solidarizar.

Se a novela é melodrama em estado puro, benditos são aqueles vilões que, além de cometer suas atrocidades, funcionam como porta-vozes de si mesmos - anunciando em voz alta quem são e do que são capazes.

Nos 70 anos da televisão brasileira, qualquer tentativa de homenagem ficaria incompleta sem o reconhecimento do lugar de destaque que ocupam em nosso imaginário. Separei vinte e cinco vilões emblemáticos, apresentados por meio de suas próprias palavras. São personagens repugnantes, porém, indispensáveis de uma história que ainda verá muitos capítulos.

Leôncio - Rubens de Falco em Escrava Isaura, 1976

(Questionando Isaura - Lucélia Santos:) "Por que você sempre se levanta quando eu entro? Parece até que está entrando o capeta."

Belarmino - José Wilker em Renascer, 1993 "É justo, é muito justo, é justíssimo."

Perpétua - Joana Fomm em Tieta, 1989

(Do alto do púlpito, anunciando para todos os presentes na igreja:) "Essa daí que se diz minha irmã está ofendendo a moral e os bons costumes dessa cidade desde que chegou aqui porque se faz passar por santa mas não passa de uma pecadora... Tieta é quenga sim e das mais rampeiras!"

Félix Khoury - Mateus Solano em Amor à vida, 2013

"Será que eu salguei a Santa Ceia? Devo ter sambado no Santo Sepulcro!"

Maria Altiva Pedreira de Mendonça e Albuquerque - Eva Wilma em A indomada, 1997

"Oxente, mai gódi! Eu não tenho freios, eu vou sempre além, eu não tenho limites, eu sou mesmo é destrambelhada! Sabe por que eu sou assim? Porque Deus me fez assim. E se ele me deu esse poder, eu posso fazer tudinho que eu quiser. E não devo satisfações a ninguém!"

Coronel Jesuíno Mendonça - José Wilker em Gabriela, 2012

(Avisando para sua mulher - Maitê Proença - antes de ir para a cama:) "Agora se deite, que eu vou lhe usar. Mulher minha não nega."

Renato Mendes - Fábio Assunção em Celebridade, 2003

(Ao ler uma placa pendurada em uma porta com os dizeres: "Se Deus é por nós, quem será contra nós?", o personagem responde:) "Renato Mendes."

Nazaré Tedesco - Renata Sorrah em Senhora do destino, 2004

(Momentos antes de tentar matar a personagem de Leandra Leal, sua enteada na trama:) "Gente, será que é crime ecológico extinguir do planeta terra a raça dos songa-mongas?"

Maria Regina - Leticia Spiller em Suave veneno, 1999

(Provocando a personagem de Betty Faria:) "Todo mundo sabe que você tem poucos talentos e nenhum deles está acima da cintura."

Conde Vlad Polanski - Ney Latorraca em Vamp, 1991

"Você acha que pode enganar um vampiro sambado como eu, né Natasha?... Eu não nasci ontem; aliás, eu nem sei quando eu nasci. Aliás, eu acho que nem nasci."

Laurinha - Gloria Menezes em Rainha da sucata, 1990

"Eu sou Laura Albuquerque Figueroa. Eu estou acima de preconceitos e juízos. Eu tenho direito de pensar o que quiser dessa gentinha baixa, vulgar, feia, fedida igual a essas duas criaturas que eu tive a infelicidade de parir..."

Sheik Aziz Abdallah - Herson Capri em Órfãos da terra, 2019

(Ao telefone, dando instruções ao empregado que está em São Paulo, seguindo os personagens de Renato Góes e Julia Dalavia:) "Não perca Jammil de vista. E nem Laila. Eu vou pensar em um plano. Esses dois vão pagar essa traição com a própria vida."

Norma - Carolina Ferraz em Beleza pura, 2008

"Eu não vou acabar presa, sabe por quê? Eu sou rica! Eu sou rica!! Você já viu algum rico ir parar na cadeia? Pelo menos não aqui nesse país onde todo mundo não tem caráter!"

Major Bentes - Lima Duarte em Fera ferida, 1993

(Dando instruções para o seu jagunço:) "O homem já está lá em casa, esperando. Amanhã, bem cedinho, você sai com ele. E depois quando chegar num lugar bem ermo, bem sossegado, bem deserto, aí você, ó... Depois, é só me trazer uma mecha do cabelo dele que é para eu ter certeza que o óbito foi mesmo providenciado."

Carminha - Adriana Esteves em Avenida Brasil, 2012

"Não quero muito da vida, não. Eu quero é tudo!"

Flora - Patrícia Pillar em A favorita, 2008

(Enquanto aponta uma arma para a cabeça de Donatella, personagem de Claudia Raia:) "Eu não quero que você morra. Eu não vou perder por nada desse mundo o espetáculo da tua derrota."

Ambrósio / O Sombra - José Lewgoy em Feijão maravilha, 1979

(Falando sobre seu alter ego criminoso, após ter escapado da polícia:) "O sombra não passa de uma sombra que já foi."

Maria de Fátima Acioly - Gloria Pires em Vale tudo, 1988

(Em conversa com a mãe Raquel, personagem de Regina Duarte:) "Não precisa tirar o avental. Você é cozinheira, escolheu ficar a vida inteira com a barriga grudada no fogão... Eu já me habituei com a ideia, eu acho que uma filha tem que aceitar a mãe como ela é, né? E depois, estamos só nós duas aqui. Contanto que nenhum amigo meu descubra..."

Sinhozinho Malta - Lima Duarte em Roque Santeiro, 1985

(Ao encomendar um assassinato ao jagunço Terêncio, sem querer saber de detalhes do crime:) "Não me fale nada, não me digue nada... faça o que tem que ser feito, homem!"

Andréa - Natalia do Valle em Cambalacho, 1986

"Eu não quero esmolas... Eu não me casei com aquele velho para ganhar presentes. Eu me casei com ele pela oportunidade que eu tive de me tornar uma pessoa rica, importante e famosa... Essa é a grande cartada da minha vida e eu não vou perder de jeito nenhum."

Marcos - Dan Stulbach em Mulheres apaixonadas, 2003

(Antes de bater na mulher Raquel - interpretada por Helena Ranaldi - com uma raquete de tênis:) "Vamos ver se agora você aprende de uma vez por todas como deve se comportar comigo, diante do seu homem, que é capaz de dar a vida por você!"

Raquel - Gloria Pires em Mulheres de areia, 1993

(Comentando com Tonho da Lua - Marcos Frota - sobre sua saúde mental:)"O pessoal anda dizendo que você piorou... Eu acho difícil. Pior do que você já é você não vai conseguir ficar mesmo."

Felipe Barreto - Antonio Fagundes em O dono do mundo, 1992

(No último capítulo, após ir ao inferno e voltar, o protagonista consegue um bom casamento. No altar, ao lado da noiva, olha para a câmera e dispara:) "E é virgem..."

Laureta - Adriana Esteves em Segundo sol, 2018

(Em conversa com Karola, personagem de Deborah Secco:) "Você é pistoleira, ex-combatente, bandida. Gente como a gente não se apaixona; fecha negócio."

Bia Falcão - Fernanda Montenegro em Belíssima, 2005

"Pobreza pega! Pega, pega como sarna. Pega! Como um vírus. Entra pela pele, pela respiração..."

*Alexis Parrot é crítico de TV, roteirista e jornalista. Escreve às terças-feiras para o Dom Total



Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!