Mundo

08/10/2020 | domtotal.com

Em declínio nas pesquisas, Trump declara que não participará de debate virtual

'Não vou perder meu tempo', diz presidente, que cogita realizar comícios apesar da Covid

O presidente republicano está em crescente desvantagem nas pesquisas de intenção de voto
O presidente republicano está em crescente desvantagem nas pesquisas de intenção de voto (Mandel Ngan/AFP)

Logo após de o comitê que organiza os debates presidenciais nos Estados Unidos anunciar que o segundo encontro entre o republicano Donald Trump e o democrata Joe Biden seria em formato virtual, o presidente rechaçou a proposta. Em entrevista à Fox Business, declarou que não perderá tempo em um debate virtual contra seu rival na corrida à Casa Branca. Trump se recupera da infecção por Covid-19, depois de ser internado na semana passada. "Não há razão para debate virtual, estou bem de saúde", afirmou.

Segundo o presidente, ele já está "bem o suficiente", inclusive, para participar de comícios e não estaria mais transmitindo a Covid-19. "As pessoas querem me abraçar, me beijar. Não vou dizer para não fazerem", declarou, durante a entrevista. Autoridades de saúde, no entanto, recomendam quarentena de 14 dias a quem testar positivo para a doença, que já deixou mais de 200 mil mortos e 7,5 milhões de doentes nos EUA.

O diretor da campanha republicana, Bill Stepien, afirmou que Trump não participará do evento virtual, que ele qualifica de "triste desculpa para socorrer Joe Biden". Para ele, a segurança dos participantes poderia ser assegurada sem a necessidade de mudar o formato. Stepien classificou a decisão de "unilateral" e "patética". "O presidente Trump venceu o primeiro debate apesar do terrível e parcial moderador Chris Wallace, e todo mundo sabe disso", alegou, acrescentando que pretende promover um comício no dia do debate.

Porta-voz de Biden, Kate Bedingfield disse que o ex-vice-presidente pretende participar do encontro, para "falar diretamente ao movo americano e comparar o plano dele para unir o país e se reconstruir, melhor do que a falha de liderança de Donald Trump em relação ao coronavírus".

Na entrevista à Fox, emissora de tendência republicana, Trump voltou a questionar o sistema de votação pelo correio, afirmando ser um problema maior do que a China ou a Rússia para os EUA, na tentativa de escolher um inimigo externo. E seguiu declarando inverdades, como a crítica à candidata a vice-presidente na chapa democrata Kamala Harris. "Ela é mais que socialista, é comunista. Está muito à esquerda de Bernie Sanders", disparou. Trump também repetiu, durante a entrevista que durou aproximadamente uma hora, que os mercados acionários terão um "crash" se Biden for eleito e reiterou que pretende impor novas tarifas à China, caso conquiste um novo mandato.

Sondagens

Ao longo da semana, várias pesquisas de opinião revelaram a tendência de ampliação da vantagem de Joe Biden frente a Trump. Durantes semanas, o democrata manteve uma margem de 7 a 8 pontos percentuais de vantagem em relação ao republicano. Uma pesquisa o Wall Street Journal/NBC News, divulgada domingo, indicou uma preferência de 14 pontos percentuais pela candidatura de Biden e, na terça, a enquete encomendada pela rede americana CNN apontou que o ex-vice de Barack Obama lidera com vantagem de 57% a 41% das intenções de voto – 16 pontos percentuais.

Na quarta-feira, a Reuters/Ipsos também divulgou sua sondagem, confirmando a tendência, colocando Biden 12 pontos percentuais à frente de Trump, respectivamente 52% e 40% dos votos. No mesmo dia, a conservadora Fox News também divulgou sua pesquisa, com diferença de dois dígitos. Na enquete, Biden aparece com 53% da preferência dos votos contra 43% para o adversário.

Diante da clara vantagem do oponente, Trump mantém seu discurso negacionista, como faz com frequência em relação à pandemia deCovid-19. Ele disse que não acredita em pesquisas eleitorais, cria falsos inimigos reforçando o nacionalismo norte-americano e deliberadamente inventa fatos sobre a realidade, mesmo ciente de que serão desmentidos em seguida.


AFP/Agência Estado/Dom Total



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!