Meio Ambiente

09/10/2020 | domtotal.com

Estado de desastre nacional na Bolívia devido a incêndios e secas em cinco estados

Previsão de chuvas para daqui a 15 dias: devastação na Amazônia e Pantanal do vizinho

Chamas devastam a Amazônia boliviana: falta de chuva continua
Chamas devastam a Amazônia boliviana: falta de chuva continua (Aizan Raldez/AFP)

O governo boliviano decretou o estado de desastre nacional devido aos incêndios e secas em cinco dos nove departamentos do país, o que lhe permite solicitar ajuda internacional. "Estamos declarando desastre nacional devido à seca e incêndios", afirmou durante uma cerimônia pública na região de Santa Cruz (leste) a presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñez.

O ministro da Defesa, Luis Fernando Camacho, explicou que os incêndios foram registrados nos departamentos de Santa Cruz, Beni (nordeste), Pando (norte, Chuquisaca (sudeste) e Tarija (sul). Um sexto departamento, La Paz, está sob avaliação.

Segundo o governo, os prognósticos meteorológicos não preveem chuvas nos próximos 10 a 15 dias na Bolívia, o que poderá piorar a situação. "O fogo está avançando rumo à zona de Masicurí (sudeste), incêndios que eram incipientes, mas que se agravaram devido às altas temperaturas", resumiu o ministro.

Um relatório da ONG Fundação Amigos da Natureza (FAN) afirma que, desde janeiro até a penúltima semana de setembro, foram registrados na Bolívia incêndios que destruíram 2,3 milhões de hectares de florestas e campos.

Os incêndios na Bolívia costumam ser resultado de queimadas provocadas pelo homem para ampliar a fronteira agrícola e agropecuária. As altas temperaturas também favorecem o surgimento de chamas. No ano passado, foram registrados em toda a Amazônia boliviana enormes queimadas que devastaram 6,4 milhões de hectares, segundo a FAN.


AFP



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!