Brasil

03/12/2020 | domtotal.com

Inutilidade partidária

Nenhum escapa a uma análise, mesmo superficial. São todos espantosamente supérfluos

Partidos são descartáveis como um sete de paus no truco
Partidos são descartáveis como um sete de paus no truco (Unsplash/Jarosaw Kwoczaa)

Afonso Barroso*

O Brasil tem 33 partidos políticos. Alguns são desnecessários, outros inúteis, e a quase totalidade não tem sentido. De modo que a gente poderia suprimir todos, que não fariam a menor falta à nossa cara democracia.

Não se salva nem o PT, o Partido dos Trabalhadores, que tem uma certa tradição, mas perdeu a essência que é de unir e proteger a classe trabalhadora. É um partido dito de esquerda, com muita gente nada direita. E tem muitos filiados que nem sabem o que é trabalho.

O PSDB, com o nome pomposo de Partido da Social Democracia Brasileira, é mesmo todo cheio de pompa e circunstância, mas não tem muito sentido. Não é de esquerda, não é de direita, não é de centro, portanto é um partido inodoro e incolor. Fora com ele.

O MDB já teve sua importância quando era PMDB. Tirou o P, deixou de ser partido. Partiu-se. Que se vá.

O PP, chamado Progressistas, só quer progresso para os seus adeptos. Seja, portanto, eliminado da face da terra.

O PDT, Partido Democrático Trabalhista, tem certa tradição brizolista, mas já perdeu a razão de ser. Concorre com o dos Trabalhadores em nítida desvantagem. Pode ser igualmente suprimido.

O PTB, Partido Trabalhista Brasileiro, é o que inspirou o PT. Portanto, não é mais do que mera inspiração.

Também não salvemos o PSOL, Partido Socialismo e Liberdade, que tem no nome uma certa aversão à Lua, o que é um sacrilégio. Chamasse PLUA e teria o meu incondicional apoio. O Sol brilha, mas costuma queimar a pele e causar males diversos. Melhor é a Lua, que só aquece os corações. Sem utilidade, pois, esse partido suarento.

DEM é o Democratas. Ou Demo. Cruz credo nele. Vade retro.

PL é o Partido Liberal. Liberou geral? Sai fora.

Tem também o PSB, Partido Socialista Brasileiro, que não socializa nada nem nunca. Melhor sair de cena.

Já o Republicanos nem sigla tem. Parece que defende a República, o que é uma redundância idiota.

Cidadania é outro que só quer ser cidadão. Sem sigla, sem nada, jamais o será.

Tem o PSL, Partido Social Liberal. Esse quis abranger o mundo, mas é outra sigla inútil.

O PCB, Partido Comunista Brasileiro, é mais que antigo: é passado e ultrapassado pela História.

O PCdo B, Partido Comunista do Brasil, é uma versão do PCB. Tomou o bonde errado.

PODE é o Podemos, que não pode coisa alguma.

PSD, o Partido Social Democrático, já foi grande nos tempos de antão, mas é miúdo nos tempos de hoje e nada será amanhã.

E temos o PV, Partido Verde, que teria o meu voto se fosse PV de Paulo Vanzolini.

E que dizer do Patriotas? Esse poderia ser o Partido Verde-amarelo. Mas nem sigla tem.

PMN – Partido da Mobilização Nacional. Nunca mobilizou coisa alguma.

E o Avante, hein? É de Avante Camaradas, aquele verso-exortação de um famoso hino militar?

O PTC, Partido Trabalhista Cristão, parece disposto a reunir todos os trabalhadores na igreja do bairro. Não vou lá, não vou lá, não vou lá.

DC, Democracia Cristã, como se vê, não tem partido no nome, nem câmara na mão, nem ideia na cabeça.

PRTB, Partido Renovador Trabalhista Brasileiro, é um nome comprido demais para um partido. Detone-se.

PROS, Partido Republicano da Ordem Social, tem nome bonito. Mas dá ideia de ser só a favor. Nada contra, mas pode ser defenestrado também.

PMB é o Partido da Mulher Brasileira. Esse não conquistou muitas mulheres, mas tem o meu voto masculino, sempre. Conforme o número de adeptas, pode também ser eliminado.

O Partido Novo trouxe mesmo algumas novidades, o que lhe vale um certo crédito, mas também não fará falta se faltar.

REDE ou Rede Sustentabilidade. Não diz a que veio. Não se sustenta. Abolido seja.

PSTU é o Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado. Nome comprido demais e meio sem sentido. Pode fazer a pista.

PCO, Partido da Causa Operária, pode ter causa, mas não tem nenhum operário. É causa sem efeito.

E há o UP, Unidade Popular, que também não tem partido no nome. Acho que nem adeptos tem. Mais down do que UP.

Esses, meus amigos, são os mais e os menos conhecidos partidos políticos em vigor no Brasil. Nenhum escapa a uma análise, mesmo superficial. São todos descartáveis como um sete de paus no truco.

*Afonso Barroso é jornalista, redator publicitário e editor

O texto reflete a opinião pessoal do autor, não necessariamente do Dom Total. O autor assume integral e exclusivamente responsabilidade pela sua opinião.



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!



Outros Artigos