Religião

25/12/2020 | domtotal.com

A paternidade de São José

José nos ensina como um homem pode crescer, na proteção e condução da família, e superar seus temores e desafios com as respostas encontradas na intimidade com Deus

São José é modelo de coragem e docilidade a Deus
São José é modelo de coragem e docilidade a Deus (Free Bible Images/Lumo Project)

Pe. Rodrigo Ferreira da Costa, SDN*

A figura de São José é pouco mencionada no conjunto dos evangelhos. Mateus é quem mais fala de José, o esposo de Maria (Mt 1, 16. 18-24; 2, 13-23), talvez para justificar a linhagem davídica de Jesus e inseri-lo na herança de Israel. Marcos não fala de José, apenas diz que o povo chamava Jesus de "o carpinteiro" (Mc 6, 3), certamente se referindo à profissão do seu pai, José. Lucas fala de José como o noivo de Maria (1, 27) e pai de Jesus (Lc 2, 4. 33. 42-52; 3,23; 4,22). João faz-lhe duas alusões na expressão "filho de José" (Jo 1, 45; 6, 42), e, no restante do Novo Testamento, José não é mencionado. No entanto, nas entrelinhas dos evangelhos podemos encontrar um modelo de paternidade em São José, homem sábio e prudente, que no silêncio orante e com um coração bondoso e compassivo é capaz de discernir os desígnios de Deus e fazer sempre o bem do outro em detrimento do seu próprio bem-estar.

O evangelista Mateus conta-nos como José se deixou guiar por Deus numa época em que a lei punia a noiva infiel com a morte por apedrejamento (Dt 22, 20-21). Ao renunciar seus sonhos para concretizar o sonho de Deus, José venceu a tentação de rejeitar secretamente sua noiva grávida, assumiu a paternidade legal do seu filho (Mt 1,24) e, assim, "gerou" Jesus nas estruturas humanas; criando um modelo de família baseado no amor e no cuidado, para além da lei e da moral.

Leia também:

Num tempo em que a figura do pai na família está cada vez mais complexa e os "modelos" de paternidade quase todos questionados, talvez pudéssemos encontrar na paternidade de José algumas referências para o exercício dessa bela vocação. Pois, o pai da Sagrada Família nos ensina como um homem pode crescer, na proteção e condução da família, superar seus temores e desafios com as respostas encontradas na confiança constante e na amizade íntima com Deus.

Em uma de suas catequeses sobre o pai de família, o papa Francisco relata que muitas crianças e adolescentes hoje são "órfãos na família" com os pais vivos. De um extremo de pai controlador e autoritário, passou-se ao pai concentrado em si mesmo, em seu trabalho e em suas realizações pessoais, esquecendo de sua família, ou ainda, ao pai que não sabe o seu lugar na família e como educar os filhos, abandonando suas responsabilidades para se refugiar numa relação de igualdade com os filhos (Papa Francisco, Audiência Geral, 4 de fevereiro de 2015).

O papa destaca a necessidade da presença do pai na família para compartilhar tudo com a esposa e para acompanhar, sem controles excessivos, o crescimento dos filhos: corrigindo os erros com firmeza e respeito, sabendo esperar e perdoar como o "pai misericordioso" (Lc 15, 11-32), protegendo sem poupar, carregando o peso das inevitáveis incompreensões e da busca pelas palavras certas para esclarecer suas razões. Dessa forma, o filho encontrará um pai que o espera quando voltar de seus fracassos, herdando dele o que realmente conta na vida: um coração sábio (Pr 23, 15-16).

Os evangelhos deixam claro que José tinha consciência de que não era o pai biológico de Jesus. Isso, porém, não o impediu de assumir uma paternidade plena e responsável, não somente apoiando Maria e a criança, mas também o ajudando em seu crescimento, ensinando-lhe uma profissão, acompanhando-o em seu processo de amadurecimento humano, afetivo e espiritual. Tudo isso, no silêncio do seu testemunho, pois os evangelhos não narram uma única palavra dita por José. "Deste homem que assumiu a paternidade e do mistério, se diz que [é] sombra do Pai: a sombra de Deus Pai. E se Jesus homem aprendeu a dizer 'papá', 'pai', ao seu Pai que conhecia como Deus, aprendeu da vida, do testemunho de José, o homem que custodia, o homem que faz crescer, o homem que leva avante toda a paternidade e todo o mistério, mas não conserva nada para si" (Homilia do papa Francisco sobre São José).

Nota-se que longe de ser um "pobre coitado" metido num imbróglio, do qual não chega a se dar conta ou das considerações piedosas em torno de São José, quase sempre carregadas de tintas de humildade e conformidade, há que se olhar para José como modelo de discipulado do Reino. Pois "só tem condições de perseverar no discipulado cristão, quem, como José, for além de suas dúvidas e inquietações interiores e se lançar, impávido, na execução da vontade de Deus [...]. O desejo de Deus consiste em que o discípulo crie um vínculo de união tão forte com Jesus a ponto de se dispor a arriscar tudo por sua causa. Em última análise, nisto consistiu a experiência do justo José. O compromisso com Jesus, a pedido de Deus, levou-o a redimensionar o rumo de sua vida. Doravante, sua existência consistiria em pôr-se a serviço exclusivo do Filho de Deus" (Padre Jaldemir Vitório SJ, O discipulado cristão segundo Mateus).

São José é, portanto, modelo de coragem e docilidade a Deus, pois mesmo em meio às obscuridades e angústias da vida, sem compreender todo mistério que o envolvia, é capaz de discernir e obedecer à vontade de Deus que nos fala no rosto do outro e grita por cuidado. Que os nossos pais encontrem, na paternidade de São José, apoio em suas angústias, sabedoria e discernimento em sua missão de pai, humildade e bondade para serem "companheiros de estrada" na vida de seus filhos e não deixá-los "órfãos" de pais vivos.

*Pe. Rodrigo, SDN é licenciado em Filosofia, bacharel em Teologia, com especialização em formação para Seminários e Casa de Formação. Atualmente é pároco da Paróquia de Santa Luzia – Arquidiocese de Teresina-Piauí.



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!