Coronavírus

12/01/2021 | domtotal.com

Sem data para vacinação contra a Covid-19, Pazuello adia reunião com governadores

O encontro serviria justamente para planejar a campanha de imunização contra a pandemia

Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello
Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello (Afp)

Ainda sem data para começo da vacinação contra a Covid-19, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, adiou uma reunião com governadores que seria feita nesta terça-feira (12). O encontro serviria justamente para planejar a campanha de imunização contra a pandemia.

Nova reunião foi marcada para a próxima terça-feira, dia 19, segundo o governador do Piauí, Wellington Dias (PT). "Não fazia sentido fazer uma agenda para marcar outra", disse Dias. Além da falta de uma data para a imunização, Pazuello pediu adiamento por estar em Manaus, cidade que volta a viver grave crise por causa da Covid-19.

Dia 'D' e hora 'H'

Em cerimônia na segunda-feira (11), na capital do Amazonas, Pazuello disse que a vacinação vai começar no "dia D, na hora H". "Todos os estados receberão simultaneamente a vacina, no mesmo dia. A vacina vai começar no dia D, na hora H. No dia D, na hora H, no Brasil", afirmou o ministro, sem definir datas.

A equipe de Pazuello tem dito que, no melhor cenário, a vacinação contra a Covid-19 começa no dia 20 de janeiro. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) avalia pedidos de uso emergencial de dois imunizantes: a Coronavac e o modelo de Oxford/AstraZeneca. Estas vacinas serão distribuídas no país, respectivamente, pelo Instituto Butantan e pela Fiocruz.

O governo Jair Bolsonaro tem sido pressionado para antecipar o calendário de vacinação contra a Covid-19. A comissão da Câmara dos Deputados que trata da Covid-19 convidou o ministro Pazuello além de representantes da Anvisa e das secretarias de saúde dos Estados e municípios, para audiência pública na quarta-feira (13), para dar detalhes sobre a campanha no Brasil.

Falta de equipamentos e leitos de UTI em Manaus

Eduardo Pazuello reconheceu que há falta de equipamentos e leitos de UTI na capital amazonense. Em um mês, o número de sepultamentos na cidade triplicou.

Ele defendeu que é necessário reforçar o trabalho das Unidades Básicas de Saúde (UBS) e o reconheceu que a cidade passa por uma crise de falta de equipamentos de oxigênio e de leitos de UTIs. "Faremos o que for possível para ajudar neste sentido", declarou sem trazer detalhes.

No domingo (10), Manaus superou o número de mortes diárias em um único dia com o registro de 144 mortes. Em uma semana, desde o domingo passado (3), a capital já contabilizou 838 sepultamentos.

Saúde tem 'todo interesse' na conclusão da análise de pedido

O ministro reforçou que o ministério tem "todo o interesse" para que se conclua a análise do pedido de uso emergencial da vacina Coronavac contra o novo coronavírus. Segundo o ministro, a principal dificuldade encontrada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para a certificação de uso emergencial das doses importadas da Coronavac - vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com a chinesa Sinovac - está na falta, no país de origem, de certificação do uso pelas autoridades sanitárias chinesas.

O ministro afirmou, durante apresentação do Plano Estratégico de Enfrentamento à Covid-19 no Amazonas, que a agência reguladora tem tido dificuldades em receber do Butantan toda a documentação pronta. Na última semana, a Anvisa cobrou do instituto informações complementares para a liberação do uso do imunizante. Segundo disse o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), nesta manhã em entrevista à rádio CNN, as informações foram repassadas pelo Butantan durante o fim de semana.

Plano de vacinação de SP

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou nesta segunda-feira (11), que mantém o plano estadual de vacinação contra a Covid-19, previsto para começar no próximo dia 25.

Segundo o governador, a falta de uma data para início da imunização no país se dá porque o governo federal "insiste em amparar uma decisão científica, técnica e de proteção à vida em decisão de ordem política, para favorecer um interesse eleitoral ou ideológico".

Doria disse fazer um apelo à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), ao Ministério da Saúde e governo federal para que agilizem a análise do pedido de uso emergencial da Coronavac, desenvolvida pelo Instituto Butantan, e outros imunizantes para conter a perda de vidas no País pelo vírus.

"Postergar, adiar e burocratizar para servir a qual interesse?", completou Doria.

"Situação cada vez mais grave"

O coordenador executivo do Centro de Contingência da Covid-19 no estado de São Paulo, João Gabbardo, afirmou nesta segunda-feira (11), que os dados epidemiológicos recentes sobre o avanço do novo coronavírus alertam para uma situação cada vez mais grave e ressaltou a urgência de novas medidas para conter novas internações e mortes.

Segundo o secretário estadual de Saúde, Jean Carlo Gorinchteyn, na última semana epidemiológica, entre três e nove de janeiro, o estado registrou alta semanal - registro dos últimos sete dias contra os sete dias anteriores - de 44% em novos casos, 41% em novos óbitos e 10% em internações.

Na Grande São Paulo, foi registrada alta semana de 51,4% em novos casos, 56,4% em novos óbitos e 22,3% em internações.


Agência Estado/Dom Total



Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!