Religião

18/02/2021 | domtotal.com

Os inúmeros desafios enfrentados por casais em meio à pandemia

Isolamento impactou severamente tanto os casados quanto os futuros noivos

A pandemia tem sido particularmente problemática para cônjuges cujas estratégias de enfrentamento e mediação foram afetadas com o confinamento
A pandemia tem sido particularmente problemática para cônjuges cujas estratégias de enfrentamento e mediação foram afetadas com o confinamento (Priscilla Du Preez / Unsplash)

David Crary
Crux Now

Para muitos casais que desejam se casar, a pandemia causou estragos em seus planos, ao mesmo tempo em que reforçou o trabalho em equipe e a resiliência. Para casais que já são casados, a pandemia apresentou uma série de novos testes, aproximando alguns e separando outros.

Passar mais tempo juntos - um resultado comum de bloqueios, quarentena e demissões - tem sido uma bênção para alguns casais que passam a ter mais consideração um pelo outro. Para outros cônjuges, privados de oportunidades para atividades individuais, o aumento do tempo juntos "pode parecer mais uma prisão domiciliar do que uma fantasia", sugeriu Steve Harris, professor de matrimônio e terapia familiar na Universidade de Minnesota e diretor associado do projeto de aconselhamento para casais Minnesota Couples on the Brink  (Casais de Minnesota à deriva, em tradução ao português).

Gregory Popcak, psicoterapeuta de Steubenville, Ohio, especializado em aconselhamento matrimonial para católicos, diz que a pandemia tem sido particularmente problemática para cônjuges cujas estratégias de enfrentamento e mediação foram afetadas com o confinamento.

"Para casais que tinham tendência a usar seus compromissos para evitar problemas, a pandemia tornou as coisas infinitamente piores", disse Popcak. "O bloqueio aumentou a temperatura emocional alguns graus… Coisas que antes eram apenas desencontros agora são catastróficas".

No geral, as pessoas ficaram mais cautelosas em meio à pandemia, disse o sociólogo W. Bradford Wilcox, diretor do Projeto Nacional de Casamento da Universidade da Virgínia. "Esse cuidado está reduzindo a probabilidade de se divorciarem, de se casarem e de terem um filho", apontou.

As estatísticas nacionais mais abrangentes sobre casamento e divórcio durante a pandemia não serão compiladas por muitos meses, mas os números disponíveis até agora em alguns estados sugerem que há um declínio notável em cada categoria.

No Oregon, os divórcios nos meses pandêmicos de março a dezembro caíram cerca de 24% em relação aos mesmos meses de 2019; os casamentos caíram 16%. Na Flórida, nos mesmos meses, os divórcios caíram 20% e os casamentos caíram 27%. Também houve quedas, embora menores, no Arizona.

Uma razão para menos divórcios: em muitos estados, o acesso aos tribunais para casos civis foi severamente restringido durante os estágios iniciais da pandemia. Outra razão, de acordo com conselheiros matrimoniais, é que muitos casais desistiram de um divórcio possivelmente iminente por medo de que isso só piorasse a insegurança financeira alimentada pela pandemia.

O reverendo Russ Berg, que dirige um grupo religioso de aconselhamento matrimonial em Minneapolis, tenta encorajar esse tipo de hesitação entre os casais que acompanha. "Alguns chegam dizendo que estão sobrecarregados, lutando com as finanças e pela educação de seus filhos", disse Berg. "Sem ir para o trabalho, eles não têm aquela proteção de estar fisicamente ausentes. Sentem que estão em cima um do outro constantemente".

"Tento colocar em perspectiva, porque todos estão estressados agora e não é um bom momento para tomar decisões sobre o futuro do seu casamento", apontou. "Eu falo para eles: 'Vamos trabalhar nisso por seis meses e entender que não podemos acrescentar a dor do arrependimento à dor do divórcio. Explorem todas as suas opções antes de decidir".

Para inúmeros casais que estavam prontos e decididos a casar, a pandemia afundou os planos de casamento em uma confusão devido às restrições de grandes reuniões e limitações sobre viagens de longa distância.

Em San Diego, Kayleigh e Cody Cousins planejaram inicialmente um casamento em abril, adiaram-no depois que a pandemia se alastrou, reagendaram para dezembro e tiveram que mudar de planos novamente quando um novo bloqueio foi imposto. "Foi devastador", apontou Kayleigh. "Dissemos: 'Vamos fazer a cerimônia pelo Zoom'". Então, montaram um altar em casa, pediram para um amigo oficializar virtualmente a celebração e realizaram uma cerimônia de casamento no dia 27 de dezembro, assistida remotamente por cerca de 40 de seus amigos e familiares.

Profissionalmente, Kayleigh ajuda o marido a administrar um serviço de corte de árvores, no trabalho se acompanham um do outro. Para muitos casais, há atritos relacionados ao trabalho.

Danielle Campoamor, uma escritora freelancer da cidade de Nova York, diz que ela e seu parceiro de sete anos discutem com frequência, porque a pandemia complica os desafios de criar seus dois filhos e ganhar a renda necessária. Campoamor trabalha em casa e, às vezes, tem que se deslocar para um centro de atendimento da Amazon.

"Ele trabalha em turnos de 12 horas", disse Campoamor, que conta com 34 anos. "Fico sozinha ajudando meu filho de 6 anos com o aprendizado online, educando meu outro filho de 2 anos, cozinhando e limpando". "Há dias em que penso: 'Sim, podemos fazer isso', e outros dias digo: 'Não vou conseguir'", apontou. "Não temos tempo para discutir nosso relacionamento, trabalhar para melhorá-lo ou para nos separar. Às vezes, não consigo me lembrar que dia é".

A advogada Elizabeth Lindsey, de Atlanta, presidente da Academia Americana de Advogados Matrimoniais, diz que ela e outros advogados de divórcio geralmente se mantiveram ocupados, em alguns casos lutando com complicações relacionadas à pandemia em relação aos direitos de visitação infantil. Lindsey espera que haja uma demanda reprimida de divórcios assim que a ameaça do Covid-19 diminuir. "Muitas pessoas com quem consultei não estavam prontas para puxar o gatilho durante a pandemia", disse.

Os últimos meses têm sido mais ocupados do que o normal para Louise Livesay, advogada de St. Paul, Minnesota, que se especializou em divórcio colaborativo - um processo no qual os cônjuges são representados por advogados que buscam negociar resultados justos para ambas as partes.

Livesay disse que o estresse da pandemia exacerbou as tensões existentes em alguns casamentos, levando os casais ao divórcio. Mas a advogada disse também que muitos de seus clientes estão ansiosos para evitar litígios contenciosos e estão abertos a acordos financeiros justos. "Descobri que as pessoas estão um pouco mais dispostas a trabalhar em busca de soluções quando as coisas estão difíceis”, apontou.

Para alguns casais, uma consequência chocante da pandemia foi a descoberta por um dos cônjuges de que o outro os estava traindo. "Isso trouxe à luz muitos casos extraconjugais que as pessoas não podiam mais esconder", disse Harris, da Universidade de Minnesota. "Talvez eles se encontrassem no caminho de ida ou volta para o trabalho. Agora estão trocando mensagens de texto e o outro cônjuge pergunta: 'Para quem você está enviando mensagens?'".

Para outros casais, um problema chave é a perda de suas rotinas pré-pandêmicas. Harris descreveu um casal problemático que procurou aconselhamento matrimonial há um ano, pouco antes de a pandemia começar. Agora, a esposa se sente pressionada a continuar trabalhando, disse Harris, enquanto o marido tenta ajudar os filhos com os trabalhos escolares on-line, embora suas habilidades de ensino não sejam excelentes. Seu amado time de hóquei para adultos foi fechado. "Eles estão em um relacionamento de brigas constantes, e todos os seus mecanismos de enfrentamento foram suprimidos", disse Harris. "Meu coração se entristece por eles".

Na diocese católica de Arlington, Virgínia, o psicólogo Michael Horne, que aconselha casais em nome da Catholic Charities, observou um desenvolvimento comovente que atribui em parte à pandemia. Existem agora 20 casais inscritos no programa de adoção, comparado com apenas sete há um ano. "Ter mais tempo juntos deu aos casais tempo para ter aquelas conversas realmente importantes", disse. "Para começar: O que significa ser uma família?".

Publicado originalmente em Crux Now.


Crux Now/Dom Total

Traduzido por Ramón Lara



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!