Meio Ambiente

07/04/2021 | domtotal.com

A luta sem fim de voluntários contra o acúmulo de plástico em praia nigeriana

A gigantesca megalópole de 20 milhões de habitantes produz entre 13 mil e 15 mil toneladas de lixo por dia, 2.250 delas só de plásticos

Voluntária junta resíduos plásticos na praia Lighthouse, de Lagos, sudoeste da Nigéria
Voluntária junta resíduos plásticos na praia Lighthouse, de Lagos, sudoeste da Nigéria (Pius Uomi Ekpei/AFP)

Sob uma temperatura de 40º, os voluntários continuam incansavelmente recolhendo as garrafas plásticas, sacolas e embalagens de isopor que cobrem toda a praia de Lighthouse, a maior de Lagos, no sul da Nigéria.

A gigantesca megalópole de 20 milhões de habitantes produz entre 13 mil e 15 mil toneladas de lixo por dia, 2.250 delas só de plásticos, segundo dados da empresa local de reciclagem WeCyclers.

Apesar dos esforços oficiais para organizar a coleta de lixo e da presença de pequenas empresas especializadas, a poluição por plástico é um grande problema ambiental e de saúde pública para a cidade mais populosa da África.

As praias se caracterizam por montanhas de lixo, como em Lighthouse, a maior praia e banhada pelas águas do Atlântico, que se estende até o vizinho Benin ao longo de 100 quilômetros.

Reciclar o plástico

"É hora de sensibilizar as pessoas sobre a necessidade de proteger o meio ambiente, principalmente do plástico", explica Chioma Chukwura, uma consultora de marketing digital que se protege do sol com um chapéu colorido de aba larga.

No fim do dia, a equipe de voluntários encheu 230 sacos com resíduos plásticos, que aguardam na areia quente a chegada do caminhão de lixo.

"Uma empresa de reciclagem virá buscá-las", disse Owoade Yussuf, organizadora deste movimento cidadão independente. "A limpeza das praias melhora a vida das comunidades locais, que poderiam ganhar a vida com o turismo", afirma. "No entanto, para atrair as pessoas para a praia, precisamos ter uma praia limpa", acrescenta.

A equipe limpou 100 metros de areia, mas ainda resta muito a ser feito. "Levaria talvez dois meses, sem interrupção, todos os dias, para limpar esta praia. E temos que encontrar uma forma de evitar que o plástico volte", disse Ebube Nwosu, cientista da computação e voluntário, um pouco desiludido.

Especialistas do grupo de pesquisa francês Polímeros Oceanos revelaram em fevereiro que cerca de 10 milhões de toneladas de plástico acabam nos oceanos do mundo todo ano e que sua limpeza já não é possível devido aos custos elevados que a tarefa exigiria.

No entanto, na praia de Lighthouse, o plástico não é o único problema. Ao longo da costa há enormes carcaças de navios naufragados, abandonados discretamente por armadores sem escrúpulos. Limpar as águas costeiras desses detritos é mais difícil e mais caro.


AFP



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!