Economia

08/04/2021 | domtotal.com

Durante 'InfraWeek', governo leiloa concessões de 22 aeroportos brasileiros

Valor arrecadado, de R$ 3,3 bilhões, surpreendeu por ser muito maior que o previsto

Airbus em aproximação para pousar
Airbus em aproximação para pousar (Daniel Slim/AFP)

O governo federal colocou em leilão na quarta-feira (7) as concessões por 30 anos de 22 aeroportos, e arrecadou um total de R$ 3,3 bilhões, valor muito superior ao esperado pelo governo de Jair Bolsonaro.

Dos três blocos ofertados, que preveem investimentos de R$ 6,1 bilhões, os dois mais importantes (regiões Sul e Central) foram obtidos pela Companhia de Participações em Concessões (CPC), parte do grupo brasileiro CCR, e o outro (Norte) pelo grupo francês Vinci.

O ágio médio foi 3.822% superior ao valor inicial, segundo o governo. "Foi uma loucura! Foi um sucesso, por mais do que qualquer um poderia imaginar", disse o economista-chefe da agência Austin Rating, Alex Agostini.

Os 22 aeroportos representam cerca de 11% do tráfego de passageiros no Brasil, o equivalente a 24 milhões de pessoas em 2019, ano anterior à pandemia de coronavírus, que paralisou o setor.

O bloco Sul (9 aeroportos) foi arrematado por R$ 2,1 bilhões, o Central (6 aeroportos) por R$ 754 milhões e o Norte (7 aeroportos) por R$ 420 milhões.

A lista inclui terminais localizados em dinâmicas áreas do agronegócio, como Curitiba, e do turismo, como Foz de Iguaçu, ou essenciais para a comunicação com o resto do país, como Manaus.

A partir da transferência operacional dos aeroportos, os vencedores da concorrência terão 36 meses para "realizar os investimentos necessários na infraestrutura atual para a prestação do serviço adequado aos usuários", explicou a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) em nota.

"Diziam que a gente era louco de colocar projetos em meio à pior crise no setor aeroportuário. Faremos leilão de 28 ativos e teremos 28 sucessos. É uma grande vitória do governo do presidente Bolsonaro", afirmou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes.

Os três dias da "InfraWeek", que prevê o leilão de concessões de uma ferrovia na quinta-feira e cinco portos na sexta-feira, começaram "com o pé direito", acrescentou.

Bolsonaro fez campanha em 2018 com promessas de realizar um ambicioso plano de privatizações e concessões para reduzir o déficit fiscal e a dívida do Brasil, que dispararam desde o início da pandemia, que já deixou mais de 341 mil mortos no país. "Muito bom o governo federal conseguiu tirar de suas costas esses ativos, porque têm uma manutenção muito elevada", disse Agostini.


AFP



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!