Coronavírus

15/04/2021 | domtotal.com

Grande BH e outras regiões de Minas vão poder sair da Onda Roxa a partir de sábado, anuncia Zema

Comitê Covid-19 aprovou ainda progressão de fase de seis microrregiões

Apesar da possibilidade reabertura, Zema diz que situação ainda é grave
Apesar da possibilidade reabertura, Zema diz que situação ainda é grave (Gil Leonardi/Imprensa MG)

Belo Horizonte e centenas de outras cidades de Minas Gerais vão poder sair da Onda Roxa do Programa Minas Consciente a partir deste sábado (17). O anúncio foi feito pelo governador Romeu Zema (Novo) durante entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira (15), na Cidade Administrativa. No caso da capital, a prefeitura ainda deve ser posicionar sobre a reabertura.

"Não estamos falando de situação confortável. Não há o que comemorar, e sim o que pensar para não voltar para a Onda Roxa", destacou o governador.

Conforme o governo estadual, Minas Gerais registrou na última semana aumento de 4,01% no número de casos e 6,81% nos óbitos, o que justifica a progressão de onda apenas nas regiões que apresentaram melhores resultados na incidência da doença e também na ocupação dos leitos. A positividade da Covid-19 está em 44% em todo o estado.

Com a decisão, as macrorregiões de Saúde Norte, Sul, Sudeste e Jequitinhonha e as microrregiões de Betim, Belo Horizonte/Nova Lima/Caeté, Vespasiano, Contagem, Curvelo e Manhuaçu poderão avançar para a Onda Vermelha.Triângulo do Norte, Triângulo Sul e Noroeste, que já estavam na Onda Vermelha desde a última segunda-feira (9), permanecem nesta fase.

"É uma evolução muito grande, mas estamos longe de termos conforto, ainda temos um sistema hospitalar que opera com carga pesada. (...) Temos que lembrar que precisamos continuar tomando os cuidados", disse  Zema.

Oda Roxa

Segundo o governo de Minas, o isolamento e as medidas restritivas da Onda Roxa geraram resultados positivos nas macrorregiões que poderão progredir para a onda vermelha. Jequitinhonha, por exemplo, está com a taxa de ocupação UTI exclusivo Covid em 72%, enquanto a região Norte registra 83% de ocupação.

Em relação às microrregiões, as cidades da Grande BH poderão avançar de onda após haver uma redução na fila de pacientes por leitos de UTI, assim como a micro de Manhuaçu, que também controlou a incidência da doença após ter entrado há mais de um mês na onda roxa do Minas Consciente.

Na avaliação do secretário de Estado de Saúde, o médico Fábio Baccherreti, a incidência da doença em algumas macrorregiões segue alta, o que indica a necessidade de manutenção da onda roxa em parte do Estado. Em contrapartida, já é possível sentir o impacto das medidas mais duras de restrição em algumas regiões após mais de um mês da onda.

“Em algumas regiões qualquer variação no número de casos pressiona o sistema de saúde. Mas a progressão decidida pelo Comitê leva em consideração a chegada de medicamentos (sedativos do kit intubação), o que nos dá uma melhor perspectiva no atendimento. E pela primeira vez em um mês temos macrorregiões com leitos vagos, o que permitirá a movimentação de pacientes”, destaca o secretário.


Redação/Agência Minas



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!