Brasil

26/04/2021 | domtotal.com

'Está chegando a hora de um novo grito de independência', afirma Bolsonaro

O presidente criticou 'pseudo-governadores' pela imposição de uma 'ditadura' ao adotarem medidas restritivas

O presidente disse que as Forças Armadas podem 'acabar com essa covardia de toque de recolher'
O presidente disse que as Forças Armadas podem 'acabar com essa covardia de toque de recolher' (Alan Santos/PR)

Um dia antes da instalação da CPI da Covid, o presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (26) que "está chegando a hora de o Brasil dar um novo grito de independência". Em evento na Bahia, Bolsonaro criticou "pseudo-governadores" pela imposição, segundo ele, de uma "ditadura" ao adotarem medidas restritivas para evitar o contágio pelo novo coronavírus.

"Está chegando a hora, pessoal. Está chegando a hora de o Brasil dar um novo grito de independência. Não podemos admitir alguns pseudo-governadores quererem impor a ditadura no meio de vocês usando do vírus subjugá-los", afirmou Bolsonaro durante evento em Feira de Santana (BA) para entrega de trecho de 22 quilômetros de duplicação da BR-101.

Na semana passada, após seguidas declarações de que "seu Exército" não iria às ruas contra o povo, o chefe do Executivo disse que as Forças Armadas podem "acabar com essa covardia de toque de recolher". As tropas, de acordo com ele, fariam valer o artigo 5º da Constituição para garantir o direito de ir e vir das pessoas.

Nesta segunda, Bolsonaro também recorreu ao seu discurso adotado desde o início da pandemia sobre o governo ter se preocupado com o vírus e com o impacto da pandemia nos empregos. Contrário às medidas de restrições adotadas para combater a crise sanitária, o presidente ressaltou que os fechamentos do comércio não foram fruto de ações do governo federal.

"Não foi o governo federal que obrigou vocês a ficar em casa, não foi o governo que fechou o comércio, não foi o governo federal que destruiu milhões de empregos", declarou. "Pode ter certeza, esse suplício está chegando ao fim. Brevemente voltaremos à normalidade com o apoio de todos."

'No meio do povo'

Ao iniciar seu discurso, Bolsonaro também destacou a presença do público no local. "Pedi para liberar o povo para vir para cá porque um evento como esse sem povo não existe", disse. Em tom de pré-campanha, o presidente disse que sempre estará no "meio do povo" e que a população dá o "norte" para todos os políticos do Brasil. "Nós faremos sempre o que o povo quiser, tenho certeza disso", comentou.

"Nós estamos em qualquer local dos 8 milhões de quilômetros quadrados é o nosso compromisso com todos os brasileiros, independente de qual partido ou de quem esteja na frente do governo do Estado. Nós não discriminamos ninguém", afirmou em referência à atuação do seu governo.

Antes do evento, Bolsonaro foi filmado sem máscara, cumprimentando apoiadores, que se aglomeraram apoiados em uma grade de proteção para ver o presidente. Em uma transmissão pelas redes sociais de um dos seus assessores, o presidente também foi visto percorrendo trecho de carro com o corpo para fora do veículo, que circulava com as portas abertas.


Agência Estado



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!