Meio Ambiente

29/04/2021 | domtotal.com

Cientistas desenvolvem instrumento de combate à poluição de plástico em Galápagos

Essa poluição representa uma 'grande ameaça à fauna silvestre'

Voluntária segura garrafa plástica recolhida na Ilha Isabela, no arquipélago de Galápagos, no Oceano Pacífico, a 1000 km da costa do Equador, em 17 de fevereiro de 2019
Voluntária segura garrafa plástica recolhida na Ilha Isabela, no arquipélago de Galápagos, no Oceano Pacífico, a 1000 km da costa do Equador, em 17 de fevereiro de 2019 (Rodrigo BUENDIA/AFP)

Um grupo de cientistas desenvolveu um equipamento com inteligência artificial para prever onde e quando os resíduos de plástico flutuando no oceano chegarão às Ilhas Galápagos, um ecossistema único no mundo e hoje ameaçado.

A cada ano, mais de oito toneladas de lixo plástico são coletadas nas praias deste arquipélago do Oceano Pacífico, localizado a cerca de mil quilômetros da costa do Equador, disse Stephanie Ypma, pesquisadora da Universidade de Utrecht (Holanda).

Impulsionados pelas correntes, resíduos do continente e das enormes frotas pesqueiras internacionais vão parar nas praias dessas ilhas classificadas como patrimônio mundial pela Unesco.

Essa poluição representa uma "grande ameaça à fauna silvestre", já que as micropartículas de plástico muitas vezes vão parar no estômago dos animais, afirmou o cientista durante encontro da União Europeia de Geociências que acontece virtualmente nesta semana.

E com certeza "são muito mais do que oito toneladas de lixo", já que apenas 1% do litoral é limpo por falta de recursos financeiros, acrescentou.

Por isso, o Instituto de Pesquisa Oceanográfica e Atmosférica de Utrecht desenvolveu um instrumento digital para "otimizar" essa limpeza.

Promovido pelo Galapagos Conservation Trust, um órgão de proteção da vida selvagem sediado no Reino Unido, a invenção foi desenvolvida para determinar para onde irão os resíduos.

É um instrumento de simulação que integra múltiplos parâmetros, desde fluxos oceânicos à composição de partículas plásticas, e possui sensores flutuantes equipados com GPS, que permitem medir o movimento da água em direção ao solo.

Os dados compilados combinaram com as simulações da inteligência artíficial para revelar uma previsão confiável. A primeira observação está prevista durante o verão boreal.

"Nossos primeros resultados são promissores", garantiu Ypma, que confia que este modelo servirá também para o combate à poluição em outras ilhas do Pacífico.


AFP



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!