Religião

04/05/2021 | domtotal.com

Queda na taxa de natalidade é tema de congresso que contará com papa Francisco

Brasil e Europa têm registrado quedas na natalidade com pandemia agravando cenário

Em imagem de arquivo, o encontro do Papa com mulheres grávidas e famílias
Em imagem de arquivo, o encontro do Papa com mulheres grávidas e famílias (Vatican News)

O papa Francisco vai participar num encontro sobre a crise demográfica na Itália e no mundo, convocado pelo presidente do Fórum italiano das Associações de Famílias, anunciou nesta segunda-feira (3) o Vaticano.

A iniciativa vai decorrer a 14 de maio, pelas 9h30 locais, no Auditório da Conciliação, em Roma.

O diretor da Sala de Imprensa do Vaticano, Matteo Bruni, informou que o papa vai participar no encontro Stati Generali della Natalità (Estado Geral da Natalidade), que visa "lançar um apelo de corresponsabilidade para que o país possa recomeçar, a partir de novos nascimentos".

O tema tornou-se "ainda mais atual pelos efeitos dramáticos da pandemia, que levou mais de um milhão de famílias a uma situação de pobreza no país", refere o portal Vatican News.

A Itália é "um país cada vez mais velho e menos povoado", afetado por "carências estruturais e legislativas" a nível fiscal, económico e social, que se refletem "na queda dos nascimentos"

Um cenário de baixa demográfica que se pretende reverter com o impulso da "oportunidade imperdível" do Plano Nacional de Recuperação e Resiliência (PNRR), entregue pelo governo italiano à União Europeia, acrescenta o site de notícias do Vaticano.

A pandemia tem mudado o perfil populacional do Brasil quando se fala da relação entre aumento no número de mortes por causa da Covid-19 e a queda na taxa de natalidade: só no primeiro trimestre de 2021, o país registrou quase 10 mil nascimentos a menos do que no mesmo período do ano passado. Uma curva negativa que também está sendo registrada na Europa, como na Itália, que, segundo os especialistas, a fecundidade já se encontra em níveis muitos baixos e com pouca probabilidade para uma reversão de tendência.

Essas questões, ainda mais evidenciadas com a pandemia, são seguidas de perto pelo papa Francisco que há 5 anos dedicou à família a exortação apostólica Amoris laetitia. A emergência sanitária da Covid-19 colocou muitos lares em crise, mas é nesse contexto de amor e ternura que se pode olhar para o futuro com confiança e esperança. O pontífice, por exemplo, já confirmou a sua participação no encontro Stati Generali della Natalità, um evento para analisar o destino demográfico da Itália e do mundo, marcado para 14 de março, em Roma. Gigi De Palo, presidente do Fórum das Associações Familiares, expressou satisfação pela novidade:

R. Estamos muito felizes com a presença do Santo Padre porque estamos convencidos de que, além das questões econômicas e sociais que são importantes e fundamentais especialmente para o nosso país, há também uma falta de esperança, de confiança, de uma visão a longo prazo. Precisávamos disso e pedimos ao papa para tentar nos ajudar a dar um salto de qualidade para pensarmos no fato de que a natalidade e, portanto, o nascimento de uma criança, tem a ver com esperança. Tudo nasceu muito espontâneo, já no ano passado eu tinha convidado o Santo Padre para o mesmo evento que íamos fazer em 15 de maio. A gente se encontrou e perguntei se participaria do evento e ele aceitou. Estamos muito satisfeitos com a sua confirmação porque queremos falar sobre o tema da natalidade, tentando quebrar o padrão associativismo católico - político e queremos tentar argumentar com o mundo das empresas, dos bancos, da mídia, do esporte e do entretenimento porque é uma questão que não diz respeito apenas às associações ou aos católicos, mas diz respeito a todo o mundo. Diz respeito ao mundo do consumo, do bem-estar, da narração e também ao tema da esperança, que acreditamos ser fundamental.

Francisco, sobre o tema da taxa de natalidade, falou várias vezes inclusive traçando um quadro amargo, especialmente da Europa que envelhece. Mas a própria Itália testemunha esse tipo de cenário:

R. O papa conhece a humanidade, conhece as famílias. Em Amoris laetitia se vê que não é uma exortação escrita em uma escrivaninha, mas, como minha esposa costuma dizer, parece que ele estava presente nas famílias italianas, como uma pessoa que assistia aos nossos almoços e jantares, porque fala sobre isso de forma muito concreta e inovadora, mantendo todos os aspectos ligados ao magistério, por isso fala com palavras novas. Estamos esperando palavras novas, que possa nos dizer o seu ponto de vista, tendo em mente que a questão dos nascimentos não tem a ver apenas com algumas pessoas que querem filhos, mas também com pessoas que não querem filhos, que escolhem livremente de não tê-los. O papa nos lembra que somos uma só família humana e que existe solidariedade intergeracional. Se uma pessoa solteira não quer filhos, mas ainda quer manter um padrão de vida decente - uma aposentadoria, cuidados de saúde que não sejam pagos - ela deve torcer por políticas familiares, por uma retomada da taxa de natalidade em nosso país. Em vez disso, muitas vezes conseguimos transformar até mesmo este tipo de situação em ideologia e conflito. Precisamos de um plano do governo para retomar os nascimentos porque corremos o risco de creches vazias, como acontece em muitas regiões italianas onde as escolas estão fechando. Precisamos de uma visão geral, um plano orgânico feito bem, e esperamos que se tenha em mente que a taxa de natalidade é a nova questão social.


Ecclesia/ Vatican News/ Dom Total



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!