Meio Ambiente

10/06/2021 | domtotal.com

Síndrome de Cassandra, degradação ambiental e a sexta extinção em massa

Estudos apontam que a ação humana tem afetado o ciclo natural da terra e que isso vai influenciar a vida de todos

Estudos demonstram que o planeta terra, já teve cinco extinções em massa que reduziram a vida a época existente em, pelo menos, 75%
Estudos demonstram que o planeta terra, já teve cinco extinções em massa que reduziram a vida a época existente em, pelo menos, 75% (National Geographic)

Daniel Brasil de Souza e Magno Federici Gomes*

A síndrome ou complexo de Cassandra é um fenômeno da psicologia e psicanálise em que alguém dá vários avisos sobre um evento, mas que os avisados consideram as advertências como mentiras e que, ao final, elas se concretizam.

O complexo recebe esse nome em razão da mitologia grega, pois Cassandra, filha de Príamo, rei da Persia, recebeu de Apolo o dom da profecia. Após não ser correspondido com o amor da jovem princesa, o Deus amaldiçoou Cassandra, fazendo com que todos desacreditassem de suas previsões.

Ao se fazer um paralelo do complexo com a atual realidade, pode-se considerar que a Cassandra moderna são os estudos científicos, principalmente na seara ambiental, que alertam a sociedade sobre as consequências da ação do homem no meio ambiente, mas que, mesmo sabendo das consequências, a sociedade continua agindo da mesma forma.

Conferências globais como a feita em Estocolmo em 1972 e a Rio-92 demonstram que a humanidade já percebeu que a conduta humana estava afetando o clima do planeta e que algo deveria ser feito. A época, a principal preocupação era com o a alta emissão dos chamados gases CFC (clorofluorcarbonos) que têm efeito nocivo à camada de ozônio. O gás foi proibido na maioria dos países e sua emissão foi controlada, e só.

Em 1992, o Brasil foi criticado pelo desmatamento da Amazônia, que perdeu 77.366km² nos cinco anos passados. Oficialmente, apenas na temporada de 2019-2020, a área desmatada na Amazônia foi de 11.088km². Exemplos como este apontam que as diretrizes debatidas pelos líderes globais há quase trinta anos não estão sendo adotadas ou pelo menos não como deveriam.

Condutas predatórias ao meio ambiente continuam a ocorrer mesmo diante dos diversos relatórios e estudos da Cassandra moderna, a ciência. Mesmo o homo sapiens sendo parte integrante do sistema biológico do planeta, a sua conduta vem afetando de sobremaneira os ciclos naturais, como as mudanças climáticas e, conforme defende um estudo inglês, a extinção em massa.

Estudos demonstram que o planeta terra, já teve 05 (cinco) extinções em massa que reduziram a vida a época existente em, pelo menos, 75%. A primeira grande extinção teria ocorrido por volta de 450 milhões de anos atrás após um rápido resfriamento e aquecimento da terra. A segunda, há 375 milhões de anos, não há um consenso sobre a sua exata causa, mas muitos apontam para um asteroide que atingiu o planeta e que causou uma grande liberação de gás metano, o que alterou a temperatura do oceano e também a atmosfera.

A terceira, há 252 milhões de anos, foi a mais mortal de todas, estudos apontam que morreram mais de 90% de todas as espécies vivas no planeta, seja no solo ou nas águas, e teria sido causado por intenso vulcanismo, que também alterou a atmosfera. A quarta teria sigo causada pela mudança gradual do clima há 201 milhões de anos.

A mais recente e mais estudada foi há 65 milhões de anos, causada pela colisão de um asteroide perto de onde atualmente se encontra o México. Foi o motivo da extinção dos dinossauros e que abriu caminho para que os mamíferos se desenvolvessem.

Um estudo publicado em 2015, na revista ScienceAdvances, fez um paralelo entre as extinções em massa que ocorreram no passado e os indicadores ambientais atuais, apontando como resultado que estamos vivenciando o início da sexta extinção em massa e que a conduta humana está acelerando esse processo.

A alteração na temperatura dos oceanos e as mudanças na atmosfera causada pela emissão de gases pela atividade humana é tema comum tanto em trabalhos científicos que buscam alertar a população, quanto nos noticiários que bilhões de pessoas assistem todos os dias.

A maldição que acometeu a jovem princesa da Pérsia talvez não tenha sido extinta com a sua morte, talvez ela apenas tenha se adaptado para os meios de comunicação que nos alertam diariamente no século XXI.

Talvez a ciência tenha tomado o lugar de Cassandra para alertar as pessoas sobre eventos que vão ocorrer, mas as pessoas ignoram os avisos pensando que os efeitos das mudanças climáticas não o afetaram ou, ainda, que isso é apenas uma forma de se fazer política.

Certo é que os estudos apontam que a ação humana tem afetado o ciclo natural da terra e que isso vai influenciar a vida de todos. Pode ser que a grande extinção não chegue nas próximas décadas, quando todos esperamos estar vivos, mas os efeitos da aceleração desse processo, com certeza afetará a vida saudável e o meio ambiente equilibrado de todas as futuras gerações.

*Mestrando em Direito Ambiental e Desenvolvimento Sustentável na Escola Superior Dom Helder Câmara. Integrante do grupo de pesquisa Responsabilidade Civil e Processo Ambiental (RECIPRO)/CNPQ. E-mail: souzadanielbrasil@hotmail.com 2 Estágio Pós-doutoral em Direito Público e Educação pela Universidade Nova de Lisboa-Portugal (Bolsa CAPES/BEX 3642/07-0). **Estágios Pós-doutorais em Direito Civil e Processual Civil, Doutor em Direito e Mestre em Direito Processual, pela Universidad de Deusto-Espanha (Bolsa da Cátedra UNESCO e do Gobierno Vasco-Espanha). Mestre em Educação pela PUC Minas. Professor do Doutorado e Mestrado Acadêmico em Direito Ambiental e Desenvolvimento Sustentável na Escola Superior Dom Helder Câmara. Professor Titular licenciado da Faculdade de Direito Arnaldo Janssen. Advogado Sócio do Escritório Moraes & Federici Advocacia Associada. Líder do Grupo de Pesquisa: Regulação Ambiental da Atividade Econômica Sustentável (REGA)/CNPQ-BRA e integrante dos grupos: Centro de Investigação & Desenvolvimento sobre Direito e Sociedade (CEDIS)/FCT-PT, Núcleo de Estudos sobre Gestão de Políticas Públicas (NEGESP)/CNPQ-BRA e Metamorfose Jurídica/CNPQ-BRA. ORCID: http://orcid.org/0000-0002-4711-5310. Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/1638327245727283.



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!