Brasil Política

30/06/2021 | domtotal.com

Bolsonaro poupa Luis Miranda e chama senadores da CPI de bandidos; 'Pare de olhar no espelho', rebate Aziz

Acuado, presidente ignora deputado que denunciou suposto esquema de corrupção

Bolsonaro ainda não desmentiu deputado que o acusou
Bolsonaro ainda não desmentiu deputado que o acusou (Isac Nóbrega/PR)

Em um pronunciamento sem mencionar o deputado Luis Miranda (DEM-DF), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chamou os líderes da CPI da Covid de "bandidos" durante cerimônia de inauguração da Estação Radar de Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul. "Não conseguem nos atingir; não vai ser com mentiras ou com CPI integrada por sete bandidos que vão nos tirar daqui", disse à plateia, referindo-se ao grupo que reúne senadores independentes e oposicionistas do colegiado. Até momento, o presidente não desmentiu as acusações feita por Miranda, seu ex-aliado.

Em seguida, reafirmou o alinhamento político entre o governo e o Congresso. "Nossos amigos do Legislativo têm nos dado grande apoio em todas as propostas que temos apresentado", disse.

Bolsonaro ressaltou a maioria cristã do Brasil e voltou a enfatizar o papel institucional dos militares. "Só tenho paz e tranquilidade porque sei que, além do povo, temos Forças Armadas comprometidas com a democracia e com a liberdade."

O presidente da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM), rebateu o ataque do presidente ao chamado G-7. "Eu vou aqui mandar uma mensagem: presidente, pare de olhar no espelho e falar com ele. Quando a gente fala para o espelho, dá nisso", disse Omar Aziz durante sessão da CPI da Covid. "Ele não explicou ainda para quem ele mandou investigar o caso da Covaxin mas, de uma forma repetitiva, ataca membros dessa CPI, chamando de bandidos e outros adjetivos."

Covaxin

A compra da Covaxin é investigada após o governo ter fechado um contrato com preço 1.000% maior do que, seis meses antes, era anunciado pela própria empresa fabricante, conforme o Estadão revelou. O Executivo decidiu suspender a aquisição. A CPI inaugurou uma nova linha de investigação com o depoimento do deputado Luis Miranda (DEM-DF) e do servidor do ministério Luis Ricardo Miranda, irmão do parlamentar, na semana passada.

Os irmãos Miranda dizem ter avisado Bolsonaro sobre um suposto esquema de corrupção envolvendo as doses do imunizante indiana, em reunião no dia 20 de março. De acordo com o deputado Luis Miranda, o presidente atribuiu o "rolo" a Ricardo Barros, que nega o envolvimento. "Ele não deu nenhum adjetivo ao deputado Miranda, que o acusou de prevaricação", disse Omar Aziz, em tom de provocação.



Agência Estado/DomTotal



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!