ESDHC

06/07/2021 | domtotal.com

Estudantes comemoram oportunidades proporcionadas pelo Simbora

Estudantes apresentaram soluções para problemas de empresas reais no evento

Grupos vencedores do evento conquistaram prêmios como a participação no Raja Valley.
Grupos vencedores do evento conquistaram prêmios como a participação no Raja Valley. (Pixabay)

O mercado de tecnologia, atualmente, oferece diversas oportunidades para profissionais que buscam desenvolver trabalhos para solucionar os problemas reais enfrentados pelas empresas e negócios da área. Dentro desse panorama, a EMGE promoveu o Simbora, hackathon que teve como intuito a imersão dos participantes dentro de um contexto de empreendedorismo, inovação e tecnologia com empresas reais. Como resultado, estudantes participantes do evento estão conquistando oportunidades únicas dentro do mercado de trabalho.

O Simbora teve como proposta principal a apresentação dos maiores problemas enfrentados pelas empresas parceiras do evento. Dessa forma, as equipes formadas por estudantes deveriam propor soluções para tais desafios. O grupo ALFA, maior vencedor do evento, composto pelos estudantes Jefferson Honorato, Pablo Henrique, Ana Clara Andrade, Juan Pablo e Izabela Sena, recebeu o desafio da empresa SEALL.

O objetivo era criar uma maneira para resolver a geração de energia pública de uma forma sustentável, econômica e inovadora. Os participantes propuseram o uso de um piso cinético que seria instalado em áreas com maior incidência de trânsito de pedestres. O piso funcionaria como uma espécie de conversor da energia cinética, produzida pelos passos, em energia elétrica.

Os estudantes do grupo ALFA contam que a maratona do Simbora foi intensa e produtiva, proporcionando o contato com o mercado de trabalho e oportunidades únicas para cada um. “Através desse hackathon eu obtive um networking que foi como um boom pra mim. Eu e meu grupo recebemos diversas oportunidades. Tivemos cursos do Instituto de Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI), contato direto com pessoas de dentro das empresas e participação em um programa de pré-aceleração do Raja Valley, que é um dos programas que vem revolucionando as startups em BH e MG. O Simbora foi muito importante para abrir o leque de networking e trazer com isso um crescimento pessoal”, explica Jefferson.

                             

                                                  Jefferson Honorato, integrante do grupo ALFA. (EMGE)

Pablo Henrique, integrante do grupo ALFA, conta que apesar de entrar no evento sem ter muita certeza do que ocorreria, a experiência foi muito proveitosa, e acredita que, pelos resultados, a sua equipe tem seguido o caminho certo dentro do ambiente profissional. “Nesse evento adquiri conhecimentos nas áreas de inovação e tecnologia. Aprendi a trabalhar em equipe e entendi também como uma empresa nasce e é formada. Um dos prêmios do evento foi uma bolsa de 100% no curso de Engenharia Civil na EMGE, de que eu serei grato pelo resto da vida”, expõe o participante.

Uma das equipes finalistas do evento foi a TecZyoh, composta pelos estudantes Izabelle Brito, Mateus Vasconcelos e Matteus Alvarenga. O time recebeu o desafio da empresa TrieEngenharia, nomeada Arquivo 4.0, que consistiu no desenvolvimento de um software que seguisse uma única lógica de armazenamento, organização e separação de dados, e que fizesse uma varredura nos arquivos como um antivírus detectando falhas.

Izabelle Brito conta que a participação no Simbora foi uma vivência única e muito importante para a sua carreira. “Foi absolutamente incrível, uma experiência que me marcou e eu sempre vou me lembrar. Eu me inscrevi para o evento inicialmente interessada somente nas horas complementares, pensei que ia assistir uma palestra ou outra, aprenderia algo novo. Mas jamais imaginei que iria ganhar algo, que teria uma ideia considerada válida por uma empresa”, explica Izabelle.

A estudante, que recebeu depois do evento um convite de estágio da TrieEngenharia pelo o seu trabalho no hackathon, expõe que, apesar da intensidade que os dias de trabalho e estudo pro hackathon pedem, a experiência é muito recompensadora. “Do momento em que minha ideia foi escolhida até me tornar finalista foi emocionante, uma mistura de adrenalina e animação. Amei essa experiência de participar de uma maratona, futuramente quero participar de outros hackathons”, expressa a estudante.

               Izabelle Brito (meio) e Mateus Vasconcelos (direita), integrantes da equipe TecZyoh. (EMGE)

A equipe TecZyoh teve como recompensas ao final do evento convites para apresentar o projeto no Raja Valley, para receber uma monitoria e montar uma startup. Matteus Alvarenga, integrante da equipe, explica que a prática proporcionada pelo hackathon foi de grande valor para seu crescimento pessoal. “A experiência que tive foi maravilhosa, realmente o evento superou as expectativas, não imaginava que teria uma dinâmica intensa. Os mentores apoiaram muito durante todo o processo. Desenvolvi habilidades e conheci novos processos de desenvolvimento de empresas. Realmente valeu muito a pena participar desse evento”, conta Matteus. 

Guilherme Moreira / NECOM Dom Helder e EMGE



Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!