Religião

01/09/2021 | domtotal.com

Papa ataca fundamentalismo e anuncia mensagem ecumênica sobre cuidado da Casa Comum

Na catequese semanal, Francisco abre o 'Tempo da Criação'

Uma delegação de cem pessoas do Movimento Laudato Si' participou na audiência geral semanal
Uma delegação de cem pessoas do Movimento Laudato Si' participou na audiência geral semanal (Vatican Media)

O papa Francisco fez um alerta nesta quarta-feira (1º) para "fundamentalistas" que propõem um "caminho de ascese artificial" durante a catequese semanal no Vaticano, que tem tratada da Carta de São Paulo aos Gálatas. Ao final, o pontífice assinalou o Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação e anunciou uma mensagem ecuménica.

Francisco disse que apesar dos "pecados, Deus não abandona, com o seu amor misericordioso" e alertou para os "fundamentalistas que propõem um caminho de ascese artificial", na audiência geral. "Deus está sempre perto de nós com a sua bondade. Peçamos a sabedoria de percebermos sempre essa realidade e mandar embora os fundamentalistas que nos propõem um caminho de ascese artificial, distante da ressurreição de Cristo. A ascese é necessária, mas uma ascese sábia e não artificial", disse o papa no encontro realizado na Sala Paulo VI, no Vaticano. Francisco assinalou que apesar dos "pecados" de cada um, "Deus não abandona, mas permanece com o seu amor misericordioso".

Na catequese desta quarta-feira, com o tema Gálatas insensatos, o papa começou a refletir sobre a segunda parte da Carta de São Paulo aos Gálatas. "Esta carta ajudar-nos-á a não dar ouvidos a propostas um pouco fundamentalistas, ajudará a avançar na vocação pascal de Jesus", explicou.

Francisco disse que São Paulo faz perguntas para "despertar as suas consciências", os Gálatas corriam o risco de perder a fé em Cristo e apelou à memória do primeiro anúncio. "Ao serem colocados à prova, tiveram de responder que o que tinham vivido era fruto da novidade do Espírito. No início da sua chegada à fé estava a iniciativa de Deus e não a dos homens. O Espírito Santo tinha sido o protagonista da sua experiência", assinalou. Neste contexto, Francisco acrescenta que colocá-lo em segundo plano, para dar "primazia às próprias obras", era "uma insensatez", porque "a santidade vem do Espírito Santo e essa é a gratuidade da redenção de Jesus".

O papa explica que São Paulo convida refletir sobre como se vive a fé, se o amor de Cristo crucificado e ressuscitado "permanece no centro da vida quotidiana como fonte de salvação", ou será que cada um se contenta "com algumas formalidades religiosas para estar em paz" com a sua consciência. "Estamos apegados ao tesouro precioso, à beleza da novidade de Cristo, ou preferimos algo que neste momento nos atrai, mas que depois nos deixa vazios por dentro? O efêmero bate muitas vezes à porta dos nossos dias, mas é uma triste ilusão, que nos faz cair na superficialidade e nos impede de discernir aquilo por que realmente vale a pena viver", desenvolveu.

Francisco salienta que na história, e hoje, acontecem coisas como aos Gálatas, alguém que diz que "a santidade está nesses preceitos, nessas coisas", o que leva a uma "religiosidade rígida, de uma rigidez que tira a liberdade no Espírito que a redenção de Cristo dá". "Cuidado com a rigidez que eles lhe propõem: cuidado. Porque por trás de cada rigidez há algo de mau, não há o Espírito de Deus", acrescentou na audiência geral pública desta quarta-feira.

Nas saudações aos peregrinos, fiéis e turistas, o papa assinalou que o mês de setembro marca o início do ano letivo de muitos alunos e professores, e o regresso ao trabalho, enquanto aos "irmãos e irmãs de língua portuguesa", sublinhou que "Deus jamais abandona".

Casa Comum

O papa Francisco também assinalou o início do Tempo da Criação 2021, na audiência pública de quarta-feira, pediu para rezar e trabalhar "pela Casa Comum nestes tempos de grave crise planetária", e anunciou a publicação de uma mensagem ecumênica. "Junto com os irmãos e irmãs de diferentes confissões cristãs, rezemos e trabalhemos pela nossa Casa comum nestes tempos de grave crise planetária", pediu o papa na sala Paulo VI, no Vaticano.

Francisco recordou que neste 1º de setembro se celebra o Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação, que marca o início do Tempo da Criação, que termina na festa litúrgica de São Francisco de Assis, no dia 4 de outubro.

O papa adiantou que vai ser publicada uma mensagem que foi preparada com o patriarca ecumênico de Constantinopla, Bartolomeu I, e o arcebispo de Cantuária (Igreja Anglicana), Justin Welby, para este mês especial que, este ano, tem como tema Uma casa para todos? Renovar o oikos de Deus.

Uma delegação de cem pessoas do Movimento Laudato Si' participou na audiência geral semanal, para celebrar o início deste Tempo da Criação, e esteve com o papa Francisco.

Este ano, o símbolo para este mês é a 'Tenda de Abraão', e o movimento convida a montar uma tenda nos jardins como sinal de hospitalidade aos excluídos, a rezar com e pelos mais vulneráveis de cada comunidade, num sinal de compromisso de criar uma casa para todos.

O Tempo da Criação começa com um Dia Mundial de Oração pela Criação, que o papa Francisco instituiu na Igreja Católica em 2015, uma data que o patriarca ecumênico Dimitrios I proclamou para os Ortodoxos em 1989.



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!