Religião

05/09/2021 | domtotal.com

Se fecharmos os ouvidos a Jesus, seremos insensíveis ao próximo

Reflexão sobre o 23º Domingo Comum, Marcos 7,31-37

Quem está surdo a Jesus pode deformar a sua mensagem
Quem está surdo a Jesus pode deformar a sua mensagem (Unsplash/Karl Fredrickson)

José Antonio Pagola*
RD

A cena é conhecida. Apresentam a Jesus um homem surdo que, como resultado da sua surdez, mal consegue falar. A sua vida é uma desgraça. Só se ouve a si próprio. Não pode ouvir os seus parentes e vizinhos. Não pode conversar com os amigos. Tampouco pode escutar as parábolas de Jesus ou compreender sua mensagem. Vive preso na sua própria solidão.

Jesus leva-o consigo e concentra-se no seu trabalho curador. Insere os dedos nos seus ouvidos e procura vencer essa resistência que não o deixa ouvir ninguém. Com a sua saliva umedece aquela língua paralisada para dar fluidez à sua palavra. Não é fácil. O surdo-mudo não colabora, e Jesus faz um último esforço. Respira profundamente, lança um forte suspiro olhando o céu em busca da força de Deus, e depois grita ao doente: "Abre-te!".

Aquele homem sai do seu isolamento e, pela primeira vez, descobre o que é viver escutando os outros e conversando abertamente com todos. As pessoas ficam admiradas: Jesus faz tudo bem, como o Criador, "faz ouvir os surdos e falar os mudos".

Não é por acaso que os Evangelhos narram tantas curas de cegos e surdos. Estes relatos são um convite a deixar-se trabalhar por Jesus para abrir bem os olhos e ouvidos à sua pessoa e à sua palavra. Discípulos surdos à sua mensagem serão como "gagos" a anunciar o evangelho.

Viver dentro da Igreja com uma mentalidade "aberta" ou "fechada" pode ser uma questão de atitude mental ou de posição prática, quase sempre fruto da própria estrutura psicológica ou da formação recebida. Mas quando se trata de "abrir-se" ou "fechar-se" ao Evangelho, o assunto é de importância decisiva.

Se vivemos surdos à mensagem de Jesus, se não entendemos seu projeto, se não captamos o seu amor pelos que sofrem, encerrar-nos-emos nos nossos problemas e não escutaremos os das pessoas. Mas então não saberemos anunciar a Boa Nova de Jesus. Deformaremos sua mensagem. A muitos será difícil entender o nosso "evangelho". Não necessitaremos abrir-nos a Jesus para nos deixarmos curar da nossa surdez?

Publicado originalmente por RDe traduzido por IHU

*José Antonio Pagola é padre e tem dedicado a sua vida aos estudos bíblicos, nomeadamente à investigação sobre o Jesus histórico. Nascido em 1937, é licenciado em Teologia pela Universidade Gregoriana de Roma (1962), licenciado em Sagradas Escrituras pelo Instituto Bíblico de Roma (1965), e diplomado em Ciências Bíblicas pela École Biblique de Jerusalém (1966). Professor no seminário de San Sebastián (Espanha) e na Faculdade de Teologia do Norte de Espanha (sede de Vitória), foi também reitor do seminário diocesano de San Sebastián e vigário-geral da diocese de San Sebastián.



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!



Outras Notícias