Brasil Cidades

28/09/2021 | domtotal.com

CasaCor 2021 exibe tendências da arquitetura e design de Minas no Palácio das Mangabeiras

Maior evento do setor em Minas, CasaCor volta a receber o púbico para conferir as últimas novidades de design e arquitetura com foco em tradições e sustentabilidade

Pavilhões construídos na parte externa do Palácio  têm enfoque na sustentabilidade
Pavilhões construídos na parte externa do Palácio têm enfoque na sustentabilidade Foto (Thiago Ventura/DomTotal)
Pavilhões construídos na parte externa do Palácio  têm enfoque na sustentabilidade
Pavilhões construídos na parte externa do Palácio têm enfoque na sustentabilidade Foto (Thiago Ventura/DomTotal)
Pavilhões construídos na parte externa do Palácio  têm enfoque na sustentabilidade
Pavilhões construídos na parte externa do Palácio têm enfoque na sustentabilidade Foto (Thiago Ventura/DomTotal)
Pavilhões construídos na parte externa do Palácio  têm enfoque na sustentabilidade
Pavilhões construídos na parte externa do Palácio têm enfoque na sustentabilidade Foto (Thiago Ventura/DomTotal)
Pavilhões construídos na parte externa do Palácio  têm enfoque na sustentabilidade
Pavilhões construídos na parte externa do Palácio têm enfoque na sustentabilidade Foto (Thiago Ventura/DomTotal)
Pavilhões construídos na parte externa do Palácio  têm enfoque na sustentabilidade
Pavilhões construídos na parte externa do Palácio têm enfoque na sustentabilidade Foto (Thiago Ventura/DomTotal)
Pavilhões construídos na parte externa do Palácio  têm enfoque na sustentabilidade
Pavilhões construídos na parte externa do Palácio têm enfoque na sustentabilidade Foto (Thiago Ventura/DomTotal)
Piscina do palácio tem formato da Lagoa da Pampulha
Piscina do palácio tem formato da Lagoa da Pampulha Foto (Thiago Ventura/DomTotal)

Thiago Ventura

Mais uma vez de volta ao Palácio das Mangabeiras, a Casa Cor Minas chega à sua 26ª edição revelando novas tendências e talentos da arquitetura, arte, design e engenharia no estado. Até o próximo dia 17 de outubro, a mostra exibe 47 ambientes criados por 71 profissionais sobre o tema 'A casa original". Métodos construtivos sustentáveis, defesa do patrimônio e reflexões sobre a vida pós-pandemia são aspectos que perpassam a Casa Cor 2021.

Aliás, a realização do evento de forma presencial é uma novidade: no ano passado a CasaCor foi online, devido às restrições para contenção da Covid-19. Medidas de prevenção são tomadas e acabam até melhorando a experiência de visitar a mostra. Inclusive, há uma boa diferença nos projetos e disposição dos ambientes da edição 2019 para a atual, o que vale a visita para interessados.



Para começo de conversa, a mostra ampliou o uso de espaços abertos na ampla área externa do Palácio das Mangabeiras. Imóvel de propriedade do estado, o palácio era a residência oficial dos governadores, mas virou local para eventos culturais na atual gestão Zema. A opção mostrou-se acertada, não só por evitar a aglomeração de visitantes, mas também em ampliar as possibilidades dos projetos.

Estúdio-Lapinha, projeto de AdaPenna e Júlia-Temponi,-Gabriela-Melo-e-Mariana-Calixto (Foto: Henrique Queiroga)Estúdio-Lapinha, projeto de AdaPenna e Júlia-Temponi,-Gabriela-Melo-e-Mariana-Calixto (Foto: Henrique QueirogaOs ambientes externos foram construídos pela empresa mineira CMC: são 25 módulos  metálicos com 12 metros quadrados e pé direito de três metros. As estruturas são construídas de forma industrial para projetos de habitação sob medida e, segundo a companhia, atendem critérios de sustentabilidade aplicados na engenharia moderna.

"Arquitetura sustentável não está associada apenas a um material ecológico, que cause poucos impactos ambientais. É preciso reduzir o consumo de energia e de água, o desperdício nas obras, incluindo práticas de reuso ou reciclagem desses resíduos, ter atenção em relação ao trabalhador envolvido em todas as etapas do processo, para que haja benefícios sociais reais e sem falar na vida útil do material e no cuidado para evitar impactos ambientais decorrentes do transporte", afirma a arquiteta e urbanista Rachel Almeida, professora da Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE).


Leia mais:

Os pavilhões têm assinatura de profissionais como Andrea Pinto Coelho e Junior Piacesi. De modo geral, os projetos têm arquitetura contemporânea com amplas áreas envidraçadas  com integração com natureza e elementos tradicionais mineiros e africanos em sua decoração. Há muito predomínio de cores terrosas e claras. O resultado final são ambientes que podem perfeitamente sair da Casa Cor e ser aplicados numa residência funcional.

Siré-(Xirê)---Gustavo-Greco---Fotos-Rafael-MottaSiré (Xirê), de Gustavo-Greco: cobogós em mogno africano têm símbolos de orixás (Foto: Rafael-Motta)

Ao redor de cada pavilhão, belos projetos de paisagismo mostram a potencialidade das plantas na composição com design, arquitetura e engenharia. Vários espaços apostam em espelhos d'água ao redor as estruturas e um deles surpreende pelo uso de hologramas que simulam peixes e outros animais. Os projetos dos jardins são de  Droysen Tomich, Felipe Fontes, Katiene Rodrigues, Nãna Guimarães, Rafael Mineiro e Valter Braga. A obra tombada de Roberto Burle-Marx, claro segue inalterada com destaque para bela piscina com formato da lagoa da Pampulha.

Elementos e obras de arte também são aplicadas ao longo do caminho na área externa do palácio. Logo na entrada, chama atenção uma espécie de labirinto criado pelo designer Gustavo Greco. Chamada de Siré (Xirê), a intervenção reúne cobogós em mogno africano, com símbolos que representam os orixás.

Design para os sentidos - TempluzDesign para os sentidos - Templuz

Outra estrutura que vai mais para o lado artístico é o ambiente "Design para os sentidos - Templuz", do português  José Lourenço. Trata-se de uma estrutura metálica em forma de cubo com telas translúcidas que projetam um vídeo com reflexão sobre a vida e a experiência de morar.

CasaCor no Palácio das Mangabeiras

No topo do imóvel encontra-se o Palácio das Mangabeiras, construção modernista projetada por Oscar Niemeyer. Os ambientes da CasaCor 2021 ocupam as dependências externas e um anexo do prédio. Apesar das limitações impostas pelo respeito ao patrimônio histórico, o resultado é muito bom com projetos autênticos e atuais. Prova de que é possível combinar o novo e a memória.

A sala de Estar JK,  assinada por Juliana Vasconcellos em parceria com a Studio 31, é um exemplo claro disso, com peças modernistas dialogando com um projeto contemporâneo. Os quartos de casal, da "jovem empreendedora" ou dos filhos também revelam as potencialidades que um bom arquiteto ou designer podem fazer num projeto.

Espaço-(COM)VIVER---Assis-Humberto-e-Marcus-Vinicius(Studio-Arquitetônico)---Foto-Henrique-Queiroga---Espaço-(COM)VIVER, de Assis Humberto e Marcus Vinícius (Studio-Arquitetônico) (Foto: Henrique-Queiroga)-

Outro ambiente que aplica tradição com resultado contemporâneo é a Sala de Estar Norah Fernandes e João Uchoa. Eles privilegiam materiais mineiros e brasileiros num projeto que inclui mobiliário com mais de 70 anos, mas com cara de novo.

Por fim, um anexo do palácio virou a 'Garagem Pub', de Janaína Araújo. A proposta é um espaço gourmet para receber os amigos com visual de bar, integrado com a garagem. O projeto tem elementos básicos de Minas: piso preto em pedra-sabão, o teto em ripado de madeira, lareira suspensa e mesa com pedras brutas e metal ligam à riqueza material do estado.

CasaCasor 2021: como visitar

A visita à CasaCor vale a pena sobretudo para profissionais, estudantes e entusiastas da arquitetura, design e engenharia. Também é uma boa para pessoas que querem inspiração para novas construções ou reformas residenciais ou mesmo comerciais. O patrimônio histórico e localização privilegiada com vista para a Serra do Curral são outros bons motivos para conhecer o local.

Os ingressos para a CasaCor 2021 custam R$ 70, com meia entrada para estudantes, idosos, PcD e professores. Aos sábados e domingos, o valor sobe para R$ 75.   Há ainda opção de passaporte de 10 dias por R$ 300 ou ilimitado por R$ 600. Passaportes de três e cinco dias já estão esgotados.

Três ambientes funcionam como restaurante, café e bar, ideais uma pausa após conhecer as novidades da mostra mineira. Um final de tarde no jardim do palácio é uma experiência incrível, antes restrita ao governador, mas agora aberta ao público.

Casa-Voktum---Bárbara-Nobre---Foto-Henrique-QueirogaCasa-Voktum, de Bárbara Nobre (Foto: Henrique Queiroga)

Devido a pandemia, o uso de máscaras é obrigatório e além disso a CasaCor investiu numa uma série de ações e de aparatos tecnológicos voltados para garantir a segurança. As visitas deverão ser realizadas com hora marcada. O visitante terá a opção de escolher a faixa de horário pretendida durante o momento da compra do ingresso. Há número máximo determinado para visitantes e o acesso se dá por reconhecimento facil, sem contato com outras pessoas.

CASACOR Minas Gerais

Onde: Palácio das Mangabeiras -Praça Ephigênio de Salles, 01, Mangabeiras, Belo Horizonte - MG
Quando: até a 17 de outubro de 2021

Horário de funcionamento:
Terça a Sexta - 14h às 22h
Sábado - 12h às 22h
Domingo - 11h às 20h

Ingressos pelo site: https://casacormg.byinti.com/#/



Redação Dom Total



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!