Coronavírus

15/10/2021 | domtotal.com

EUA vão abrir fronteiras para estrangeiros vacinados em 8 de novembro

Medida beneficia viajantes do Brasil e dezenas de outros países. Novas regras incluem quem tomou Coronavac

Aeroporto em Nova York deverá receber turistas estrangeiros e impulsionar a economia da cidade
Aeroporto em Nova York deverá receber turistas estrangeiros e impulsionar a economia da cidade (J Eisele/AFP)
DW

O governo dos Estados Unidos anunciou nesta sexta-feira (15) que permitirá a entrada no país de visitantes estrangeiros que estejam completamente vacinados contra a Covid-19 a partir de 8 de novembro.

As restrições de chegada ao país estavam em vigor desde o início da propagação do novo coronavírus, em março do ano passado, ainda no governo do ex-presidente Donald Trump. O atual chefe de governo, Joe Biden, manteve as medidas ao assumir o cargo.

"A nova política de viagens dos EUA, que exige vacinação para viajantes estrangeiros nos Estados Unidos, começará em 8 de novembro", anunciou no Twitter Kevin Muñoz, subsecretário de imprensa da Casa Branca. "Este anúncio e esta data se aplicam a viagens aéreas internacionais e terrestres", escreveu. "Esta política é pautada pela saúde pública, rigorosa e consistente", completou.

Em março de 2020, para frear a propagação do coronavírus, Washington fechou as fronteiras aos viajantes procedentes da União Europeia, Reino Unido e China, e mais tarde adicionou à lista as pessoas procedentes da Índia e Brasil. Também proibiu a entrada por terra a partir do México e Canadá.

O anúncio desta sexta indica que, a partir de 8 de novembro, os estrangeiros que quiserem entrar no território americano para visitas consideradas não essenciais, como turismo e encontros familiares, por exemplo, estarão permitidos, desde que tenham o esquema completo de vacinação.

Além disso, os viajantes internacionais completamente vacinados não precisarão mais cumprir quarentena ao chegar aos Estados Unidos, mas deverão apresentar dados de contato para facilitar o rastreamento, caso contraiam a Covid-19.

Os Estados Unidos aceitarão todas as vacinas que tiverem sido aprovadas pelos órgãos reguladores do país ou que receberam autorização de uso emergencial pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Entre as vacinas aprovadas pela OMS estão:

Pfizer/BioNTech

Moderna

Oxford/AstraZeneca

Janssen (Johnson & Johnson)

Sinopharm

Coronavac

Outras, como a Sputnik V e a vacina CanSino, que estão sendo utilizadas em alguns países da América do Sul, não valerão, já que ainda não receberam aval da OMS.

Para os viajantes que chegam de avião, o governo dos Estados Unidos solicitará às companhias aéreas que estabeleçam um sistema de rastreamento de contatos e exigirá um teste de detecção do vírus três dias antes da partida.

Para a entrada por terra, a Casa Branca anunciou nesta semana que a suspensão das restrições acontecerá em duas etapas. A partir de 8 de novembro, poderão atravessar a fronteira do Canadá ou México as pessoas que viajam por motivos considerados "não essenciais", por exemplo, familiares ou turísticos, desde que estejam vacinadas. As pessoas que entram no país por motivos "essenciais", por exemplo, os caminhoneiros, estarão isentas.

Mas a partir de janeiro, a obrigação da vacina anticovid será aplicada a todos os visitantes que atravessarem as fronteiras terrestres, independente do motivo de entrada nos Estados Unidos.

DW



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!