Mundo

17/04/2022 | domtotal.com

Rússia proíbe entrada de Boris Johnson, premiê britânico, no país

Medida contra premiê britânico vem em retaliação a sanções impostas pelo Reino Unido a Moscou após a invasão da Ucrânia

Governo russo acusa país europeu de promover
Governo russo acusa país europeu de promover "ações hostis" Foto (DW)
DW

A Rússia proibiu neste sábado (16/04) a entrada do primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, e de outros vários funcionários do governo britânico no país em resposta às sanções impostas pelos europeus a Moscou após à invasão da Ucrânia.

"Esta medida foi tomada em resposta à campanha política e mediática desenfreada destinada a isolar a Rússia internacionalmente e criar as condições para estrangular a economia nacional", afirmou o Ministério do Exterior da Rússia ao justificar as proibições.

Moscou alegou que o governo britânico "agrava propositadamente a situação em torno da Ucrânia, enchendo o regime de Kiev de armas letais e coordenando esforços semelhantes por parte da Otan". O ministério acusou o país europeu de promover "ações hostis sem precedentes" contra a Rússia.

"A política russofóbica das autoridades britânicas, que se encarregaram de promover uma atitude negativa em relação ao nosso país e de congelar laços bilaterais em praticamente todas as áreas, prejudica o bem-estar e os interesses dos habitantes do próprio Reino Unido", destacou o ministério em comunicado.

Além de Boris Johnson, a proibição de entrada na Rússia atinge também o vice-primeiro-ministro Dominic Raab, a ministra do Exterior, Liz Truss, o ministro da Defesa, Ben Wallace, a ex-primeira-ministra e agora deputada Theresa May e a primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon.

Visita a Kiev

Johnson foi um dos líderes europeus que esteve em Kiev depois do início da guerra. Há uma semana, o premiê britânico se reuniu com o presidente ucraniano, Volodimir Zelenski, na capital ucraniana e demonstrou apoio à Ucrânia.

"Estamos apresentando um novo pacote de ajuda financeira [e] militar que é uma prova de nosso compromisso com a luta de seu país contra a campanha bárbara da Rússia", afirmou Johnson na ocasião.

Em retaliação as sanções que vem enfrentado após ter lançando uma ofensiva militar na Ucrânia em 24 de fevereiro, a Rússia já havia banido a entrada do presidente americano, Joe Biden, no país, além de outros políticos da União Europeia, Austrália e Nova Zelândia.

A guerra na Ucrânia já matou quase 2 mil civis, segundo dados da ONU, que alerta para a probabilidade de o número real ser muito maior. Mais de 11 milhões de ucranianos foram obrigados a abandonar suas casas e mais de 5 milhões buscaram refúgio em outros países.

A invasão russa foi condenada pela grande maioria da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armas para a Ucrânia e o reforço de sanções econômicas e políticas contra Moscou.

DW



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!



Outras Notícias

Não há outras notícias com as tags relacionadas.