Cultura

18/04/2022 | domtotal.com

Escritores são raça esquisita

Estou satisfeito em ser vendedor e um vendedor que engana escritores pois os faço crer que ao comprar o meu produto os escritos adquiram automaticamente a mesma qualidade do papel

Escritor
Escritor Foto (Pixabay)

Ricardo Soares*

Quando muito concedo algum espaço a algumas daquelas chamadas "damas do crime" como Ruth Rendell e P.D.James que eu acho o máximo não por ser uma escritora e sim por ser uma ex-enfermeira e dona de casa com cara de comedora de batatas sauté . Na verdade, verdade mesmo nem gosto mesmo de escritores. São uma raça esquisita, metida a artista mas cheia de manias e rancores.Alguns tem olhos espremidos,acuados, como se alguém os perseguisse o tempo todo. Outros tem tiques nervosos e olham sobre os próprios ombros como se o tempo todo respingasse cocô de pomba sobre eles ou se membranas esquisitas ou escamas fossem nascer no alto dos braços .

Nunca quis ser escritor e acho até que os desprezo. Estou satisfeito em ser vendedor e um vendedor que engana escritores pois os faço crer que ao comprar o meu produto os escritos adquiram automaticamente a mesma qualidade do papel. Sou tão bom de lábia que chego a vender por preço extorsivo um papel reciclado e barato. Convenço-os de que é um papel muito chique e raro e que é corretíssimo utilizá-lo por ser biodegradável e preservar o meio-ambiente. Ainda acrescento o detalhe sórdido : de que a matéria prima nele utilizada é toda manipulada por jovens órfãos das palafitas de Manaus recebendo acabamento de doentes mentais de uma colônia penal na ilha de Marajó. Eles não resistem e acreditam que com isso fazem uma boa ação e são úteis ao mundo sobre o qual escrevem.

Aliás isso é o que mais me incomoda nos escritores. Acham que são vitais ao mundo. Insubstituíveis e só eles mesmo capazes de retratarem as agruras e impressões de uma época, uma geração, todo um tempo histórico e datado. Qual nada... já teria por exemplo o Sr. Saramago pensado que se todas as bibliotecas do mundo se incendiassem e todos os computadores tivessem as memórias deletadas e todos os filmes sumissem o mundo seria exatamente o mesmo ? nem pior, nem melhor ? Ou seja, os seus livros, como os de Cervantes, Camões ou Garcia Marquez não alterariam a roda da história, nem o rumo dos acontecimentos. Mas os escritores,desde sempre, se acham vitais e indispensáveis e é isso que me irrita neles. Isso os iguala aos políticos que se consideram a chave da história , o dínamo das mudanças, os arautos das transformações sociais. Pobres e mortais coitados. Muitas vezes escritores são apenas rascunhos. Garganteiros ligeiros.


Dom Total

*Ricardo Soares é escritor, roteirista, documentarista. Publicou 9 livros, dirigiu 12 documentários. Fala sobre livros em 1 minuto no Instagram @naredecomsede

O texto reflete a opinião pessoal do autor, não necessariamente do Dom Total. O autor assume integral e exclusivamente responsabilidade pela sua opinião.



Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!



Outros Artigos

Não há outras notícias com as tags relacionadas.