Religião

18/05/2022 | domtotal.com

Pe. Chiera ao Papa: agradecer pelo exemplo de amor aos pobres e às periferias

O fundador da Casa do Menor, Padre Renato Chiera, encontrou Francisco ao final da Audiência Geral na Praça São Pedro

Religiosos se encontraram após Audiência Geral desta quarta-feira (18)
Religiosos se encontraram após Audiência Geral desta quarta-feira (18) Foto (Vatican Media)

"Uma emoção que eu já repeti três vezes", contou o Padre Renato Chiera sobre o encontro com o Papa Francisco ao final da Audiência Geral desta quarta-feira (18). Em entrevista a Silvonei José, o fundador da Casa do Menor disse que entregou ao Pontífice o resultado de obras assistenciais que "nasceram da pregação e do exemplo dele: do amor aos pobres e das periferias":

"Eu falei para ele que viemos aqui para agradecer, porque 'o senhor colocou no nosso coração - a partir da jornada dos pobres - um amor muito grande aos pobres que o senhor chama de carne viva de Cristo'. E nós estamos tentando colocar isso em prática no Brasil, nas periferias, e agora na África, onde nós fomos em Guiné-Bissau, o lugar mais pobre."

A missão na África

Além do agradecimento, o Pe. Chiera disse que também foram "dar um pouco de alegria" ao Papa ao expor sobre o trabalho conjunto que está sendo feito por duas entidades no país mais pobre da África: a Casa do Menor Família Vida, com 44 anos de atuação no Brasil, e a Obra Lumen de Evangelização, com 30 anos de atividades. Para dar seguimento ao projeto, o Pe. Chiera contou que ficou mais de 3 meses no local, numa "experiência de despojamento, de silêncio, de escuta, de pensar, de saber que não sei nada; de não fazer nada para escutar e não julgar, para admirar e colher os valores de Deus". 

A missão está sendo realizada na diocese de Bafatá, capital da região de mesmo nome, de maioria muçulmana, "para ser Igreja, lá onde a Igreja não pode chegar". Em especial, o trabalho é realizado junto a crianças, adolescentes e jovens que estão na rua e são de diversas confissões religiosas. O Pe. Chiera disse ainda que o início da missão começa com o envolvimento da comunidade, as amizades feitas, para daqui a um ano acontecer o inserimento e o apoio. Para a comunicação, foi tentado usar o "crioulo", mas sobretudo uma outra linguagem:

"Nós devemos falar e testemunhar uma linguagem que todo mundo entende: a linguagem da presença e do amor. Não podemos anunciar explicitamente Jesus, mas devemos anunciá-lo com a nossa presença de amor para que eles percebam, através de nós, que é o Evangelho vivido, o que é a presença do amor de Deus. Não conseguimos pregar, só acolher as pessoas."

“Nós éramos um grupo de 5 e vimos que a missão nasce da comunhão: antes a comunhão, depois a missão.”

"Com 80 anos? É jovem! Siga em frente!"

O encorajamento em continuar a missão pelos mais frágeis, seja no Brasil ou em outras partes do mundo, veio do próprio Papa ao brincar com o Pe. Chiera que disse já estar com uma certa idade:

"Eu tenho já 80. E ele disse: 'ué, mas você é jovem! Vai, vai para frente! Vai para frente! Então, me deu coragem dizendo que não vou morrer já, porque ele disse que tem ainda muita coisa para se fazer (risos)."


Vatican News



Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!



Outras Notícias

Não há outras notícias com as tags relacionadas.