Religião Meu Dia com Deus

Dia 2 de Junho - Sábado

Ouça:




Confira também as mensagens de Dom Helder



Evangelho do dia: (Marcos 11,27-33)

Aleluia, aleluia, aleluia.
A palavra de Cristo ricamente habite em vós, dando graças, por ele, a Deus Pai! (Cl 3,16s).
 
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos.
11 27 Jesus e seus discípulos voltaram outra vez a Jerusalém. E andando Jesus pelo templo, acercaram-se dele os príncipes dos sacerdotes, os escribas e os anciãos,
28 e perguntaram-lhe: "Com que direito fazes isto? Quem te deu autoridade para fazer essas coisas?"
29 Jesus respondeu-lhes: "Também eu vos farei uma pergunta; respondei-ma, e dir-vos-ei com que direito faço essas coisas.
30 O batismo de João vinha do céu ou dos homens? Respondei-me."
31 E discorriam lá consigo: "Se dissermos: Do céu, ele dirá: Por que razão, pois, não crestes nele?
32 Se, ao contrário, dissermos: Dos homens, tememos o povo." Com efeito, tinham medo do povo, porque todos julgavam ser João deveras um profeta.
33 Responderam a Jesus: "Não o sabemos." "E eu tampouco vos direi, disse Jesus, com que direito faço estas coisas."
Palavra da Salvação.

Meditando o evangelho

AUTORIDADE QUESTIONADA

A controvérsia com as lideranças religiosas de Jerusalém serviu para evidenciar a preconceito que tinham contra Jesus. Incomodados com seu modo de falar e agir, seus adversários questionavam a autoridade (poder) com que atuava. Queriam saber quem o havia comissionado para este tipo de ação, como se justificava sua liberdade diante de tudo e de todos, e de que tipo de poder se servia para realizar prodígios. Em suma, estavam pondo em xeque todo o ministério de Jesus.
O Mestre respondeu-lhes com uma contrapergunta, apelando para a figura de João Batista, considerado pelo povo como profeta. Os líderes religiosos, porém, duvidavam dessa condição profética do Precursor de Jesus. Não davam importância ao sentimento do povo, que o ouvia com interesse e se convertia depois de sua interpelado. Talvez, até se tenham alegrado, quando Herodes mandou decapitá-lo. É que a pregação do Batista lhes era incômoda.
Jesus encontrava-se em situação semelhante à de João. O testemunho do povo a respeito do Mestre não tinha nenhum valor para as autoridades religiosas. A falta de sintonia com o profeta João era indício de que também não estavam dispostas a acolher o testemunho do profeta Jesus. Portanto, seria inútil dar-lhes explicações a respeito da origem de sua autoridade, e nutrir a esperança de que o acolhessem como Filho enviado.

Oração
Espírito de estima pelo Senhor, dá-me um coração dócil para acolher Jesus, na qualidade de Filho de Deus.


Mais: Notícias / Liturgia / Roteiro Homilético

CALENDÁRIO
dom seg ter qua qui sex sab
Direito | Engenharia
Vídeos
Mais Lidas
Instituições Conveniadas