Religião Meu Dia com Deus

Dia 4 de Junho - Terça-feira

Ouça:




Confira também as mensagens de Dom Helder
Newsletter

Você quer receber o Evangelho do Dia em seu WhatsApp ou e-mail?

Evangelho do dia: (João 17,1-11)

Aleluia, aleluia, aleluia.
Rogarei ao meu Pai e ele há de enviar-vos um outro paráclito, que há de permanecer eternamente convosco (Jo 14,16).


Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João.
Naquele tempo, 17 1 Jesus afirmou essas coisas e depois, levantando os olhos ao céu, disse: "Pai, é chegada a hora. Glorifica teu Filho, para que teu Filho glorifique a ti;
2 e para que, pelo poder que lhe conferiste sobre toda criatura, ele dê a vida eterna a todos aqueles que lhe entregaste.
3 Ora, a vida eterna consiste em que conheçam a ti, um só Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo que enviaste.
4 Eu te glorifiquei na terra. Terminei a obra que me deste para fazer.
5 Agora, pois, Pai, glorifica-me junto de ti, concedendo-me a glória que tive junto de ti, antes que o mundo fosse criado.
6 Manifestei o teu nome aos homens que do mundo me deste. Eram teus e deste-mos e guardaram a tua palavra.
7 Agora eles reconheceram que todas as coisas que me deste procedem de ti.
8 Porque eu lhes transmiti as palavras que tu me confiaste e eles as receberam e reconheceram verdadeiramente que saí de ti, e creram que tu me enviaste.
9 Por eles é que eu rogo. Não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus.
10 Tudo o que é meu é teu, e tudo o que é teu é meu. Neles sou glorificado.
11 Já não estou no mundo, mas eles estão ainda no mundo; eu, porém, vou para junto de ti. Pai santo, guarda-os em teu nome, que me encarregaste de fazer conhecer, a fim de que sejam um como nós".
Palavra da Salvação.

Meditando o evangelho

A VERDADEIRA GLÓRIA

Jesus entendeu a hora de sua morte como o momento de sua glorificação por parte do Pai. Humanamente falando, não é fácil de coadunar cruz e glória. Isto por que os padrões mundanos de glória são incompatíveis com o sofrimento. No pensar de Jesus, porém, a glorificação assumiu características peculiares. Sua glória consistiu em ter levado a cabo a tarefa recebida do Pai, sem nada omitir e sem deixar-se levar pelas próprias conveniências. Tudo realizou visando tão somente a vontade do Pai e seu projeto. A cruz tornou-se o momento de sua glorificação, porque nela ficava patente sua radical fidelidade ao Pai, sem a mínima resistência. A cruz foi a prova maior do senhorio do Pai na vida de Jesus. Por isso, nela Jesus foi glorificado.

Outra vertente da glória de Jesus situou-se no seu serviço incansável à humanidade. Esse consistiu em levar as pessoas a guardarem as palavras do Pai e a aderirem ao seu projeto. Pela ação de Jesus, elas foram introduzidas num processo de fé e de acolhida da revelação de Deus. O Mestre bem sabia não se ter poupado, em se tratando de servir. Eis um motivo de glória!

A glória do discípulo precisa se espelhar na glória do mestre. Ela virá na medida em que se for capaz de realizar, sem hesitação, a vontade do Pai, de modo especial, na hora da provação. A isso se acrescente o serviço gratuito e generoso ao próximo.


Oração
Senhor Jesus, seguindo o teu exemplo, desejo buscar a glória que consiste em entregar-me totalmente ao Pai e por-me a serviço dos irmãos.


Mais: Notícias / Liturgia / Roteiro Homilético


CALENDÁRIO
dom seg ter qua qui sex sab