SuperDom Arte e Cultura

15/10/2019 | domtotal.com

Os impressionistas e a fotografia

Como a fotografia ensinou a pintores uma nova maneira de ver o mundo.

Edgar Degas inspirou-se em foto de Felix Nadar, de 1870, para pintar 'Mulher com chapéu de plumas'.
Edgar Degas inspirou-se em foto de Felix Nadar, de 1870, para pintar 'Mulher com chapéu de plumas'.

Por Marco Lacerda*
De Madrid

Entre as artes, a fotografia configura-se pela capacidade de registrar um único instante e mostrar a emoção, muitas vezes não percebida pelos nossos olhos inquietos. Justamente por isso é que na segunda metade do século 19, ela inspirou artistas da vanguarda impressionista. Foi no estúdio do fotógrafo francês Félix Nadar que ocorreu a primeira exposição desses artistas revolucionários.

O Impressionismo é um movimento que leva a pintura ao estudo da luz plena, do ar livre e da autenticidade na reprodução do impacto do céu sobre a vida, daí a proximidade com a fotografia.

A exposição que abre nesta terça-feira (15), no Museu Thyssen-Bornemisza, de Madrid, mostra que a fotografia e a pintura mantiveram sempre uma estreita relação. Ela analisa como a fotografia serviu de estímulo a grandes pintores, como Manet, Degas e outros impressionistas, para desenvolver uma nova maneira de ver o mundo. A mostra fica em cartaz até 26 de janeiro de 2020.

Com curadoria de Paloma Alarcó, conservadora-chefe de pintura moderna do Thyssen- Bornemisza, a mostra encontra-se estruturada em oito capítulos temáticos: O bosque, A água, O campo, Monumentos, A cidade, O retrato, O nú e O movimento, que exploram os interesses dos pintores e dos fotógrafos da época impressionista.

O objetivo é proporcionar uma reflexão crítica sobre as influências da fotografia e da pintura, que se manifestam de forma recíproca, destacando também a polêmica surgida na segunda metade do século XIX entre críticos e artistas sobre este tema.

O fotógrafo Olympe Aguado (dir) foi referência para o pintor Edouard Manet.O fotógrafo Olympe Aguado (dir) foi referência para o pintor Edouard Manet.A fotografia não inspirou os impressionistas simplesmente como fonte iconográfica. Os pintores impressionistas encontraram também nela uma inspiração técnica sobre a manipulação da luz e a representação de um espaço assimétrico e interrompido, o que se pode apreciar na exploração da espontaneidade e da ambiguidade visual. 

Muitos dos quadros expostos revelam como os pintores utilizavam figuras em plano cinematográfico, ou cenas incompletas que ajudam a transmitir uma sensação de que o quadro se estende para além dos limites da própria tela, sendo estes recursos muito utilizados na fotografia.

Por sua vez, os fotógrafos começaram a revelar alguma preocupação pela materialidade das suas imagens, e a procurar novas fórmulas para fotografar com um efeito mais pictórico, encontrando no impressionismo a sua fonte de inspiração.

*Marco Lacerda é jornalista, escritor e Editor Especial do Dom Total.

Comentários
Instituições Conveniadas