Blog O cinema é

Crítica | Ghostbusters: Mais Além

11/11/2021 12:06:24

Não há muito o que exaltar nem o que aviltar.

GhostBusters Destaque
© RockChick1980 via TMDb. Todos os direitos reservados.

É com saudosismo que o sucesso dos anos 1980, Os Caça-Fantasmas (Ghostbusters, 1984), retorna para mais uma sequência, Ghostbusters: Mais além (Ghostbusters: Afterlife), 41 anos após o lançamento do filme original (ignorando o que se passa no remake fracassado 2016).

O que se pode dizer, basicamente, é que não há muito o que exaltar nem o que aviltar em relação a essa película. É um filme que, no geral, funciona muito bem para seu público-alvo e cumpre o que promete.

Pela primeira vez nessa história nos encontramos fora de Nova York, depois que o pai de Callie (Carrie Coon), deixa para ela uma fazenda macabra em uma cidade do interior. Callie se muda para o local com os filhos Trevor (Finn Wolfhard) e Phoebe (Mckenna Grace), quando então coisas estranhas começam a acontecer e o passado da família começa a se revelar.

Com um elenco muito competente que faz toda a diferença (e que também inclui Paul Rudd), Ghostbusters: Mais além traz personagens carismáticos e uma história bem divertida que até justifica seus 124 minutos de duração. Os gêneros comédia e fantasia se misturam bem e arrancam algumas risadas pontuais, o que é um super ponta a favor.

Existem, é claro, alguns detalhes que chamam a atenção, como o descaso com o sistema público de ensino arcaico que o filme retrata, mas eles soam mais como “zoação” do que como algo a ser levado muito a sério, e os efeitos especiais também não incomodam.

Por outro lado, a despeito de seu tempo de tela, Ghostbusters não é um filme que mergulhe muito fundo em todas as questões que propõe, mas também não é tão raso a ponto de atingir um nível negativo. O diretor Jason Reitman sabe bem o que faz e entrega um trabalho satisfatório para os fãs nostálgicos dessa franquia de tanto sucesso, mantendo suas características, mas trazendo o frescor necessário dos tempos atuais. Não é à toa que a velha guarda dessa história não hesitou em retomar seus papéis.

Sendo assim, o que se revela é um longa bastante divertido para se passar um tempo em família, que fará as crianças e adolescentes da década de 1980 reviverem bons momentos e as novas gerações a conhecer essa história de tanto sucesso.

Publicado originalmente em O Cinema é
O Cinema é

Comentários