Mundo

18/05/2022 | domtotal.com

Rússia anuncia expulsão de dezenas de diplomatas europeus

Decisão é resultado de medidas similares adotadas por países ocidentais

Visão geral do edifício do Ministério das Relações Exteriores da Rússia em Moscou, em 29 de março de 2022
Visão geral do edifício do Ministério das Relações Exteriores da Rússia em Moscou, em 29 de março de 2022 Foto (Natalia KOLESNIKOVA/AFP)

A Rússia anunciou nesta quarta-feira (18) que expulsará dezenas de diplomatas europeus, em resposta a medidas similares adotadas pelos países ocidentais, num contexto de tensão desde o início de sua invasão da Ucrânia.

No total, 34 diplomatas franceses devem deixar a Rússia dentro de duas semanas, enquanto 27 diplomatas espanhóis - "colaboradores da embaixada da Espanha em Moscou e do Consulado Geral da Espanha em São Petersburgo" (noroeste) - têm sete dias para deixar o país, informou a diplomacia russa.

Moscou também decidiu expulsar 24 diplomatas italianos como medida de retaliação, declarou à imprensa a porta-voz da diplomacia russa, Maria Zakharova, mesmo antes de o embaixador italiano chegar ao ministério das Relações Exteriores para sua convocação.

A França havia anunciado em abril a expulsão de 41 diplomatas russos que, segundo ela, estavam envolvidos em atividades de espionagem, explicando que a sanção fazia parte de "uma abordagem europeia".

A Rússia "protestou fortemente" nesta quarta-feira contra "a decisão provocativa e infundada das autoridades francesas" de expulsar diplomatas russos, de acordo com um comunicado da diplomacia russa, enfatizando que esta medida "prejudica seriamente as relações russo-francesas, bem como a cooperação bilateral construtiva".

Por sua vez, Paris "condenou fortemente" o anúncio da Rússia de retaliação, considerando que esta decisão não se baseava em "nenhum fundamento legítimo".

"Esta decisão é apresentada pelo lado russo como uma resposta às decisões da França" em abril, quando "várias dezenas de agentes russos" suspeitos de serem espiões foram expulsos, diz um comunicado do ministério das Relações Exteriores francês.

Pelo contrário, "o trabalho dos diplomatas e funcionários da nossa embaixada na Rússia está totalmente no âmbito da Convenção de Viena sobre relações diplomáticas e consulares", acrescenta.

"A decisão das autoridades russas não se baseia em nenhum fundamento legítimo. Só podemos lamentar", continua o comunicado da diplomacia francesa.

Por sua vez, a Itália descreveu a expulsão de seus funcionários como um "ato hostil", mas o chefe do governo italiano, Mario Draghi, ressaltou que "romper as relações diplomáticas" deve ser evitado.

"Os canais diplomáticos não devem ser rompidos, porque se conseguirmos a paz, conseguiremos através desses canais diplomáticos", disse Draghi durante uma entrevista coletiva em Roma.

Segundo a imprensa russa, o embaixador da Suécia também foi convocado nesta quarta no ministério russo das Relações Exteriores.

A ofensiva russa na Ucrânia, que começou em 24 de fevereiro, provocou uma onda de condenação internacional e uma enxurrada de sanções, acompanhadas pela expulsão de centenas de diplomatas russos pelos países ocidentais.

Alemanha, Itália, Espanha, Eslovênia, Áustria, Polônia, Grécia e Croácia expulsaram massivamente diplomatas russos desde o início da ofensiva. Em alguns casos, essas expulsões foram acompanhadas de acusações de espionagem.

Moscou prometeu responder a cada uma dessas medidas e dezenas de diplomatas ocidentais já foram expulsos de seu território.


AFP



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!



Outras Notícias

Não há outras notícias com as tags relacionadas.